quinta-feira, 18 de julho de 2013

A Praia e a Trilha de Naufragados


Localizada no extremo sul da Ilha de Florianópolis, Naufragados tem uma aura de mistério devido aos acontecimentos históricos registrados na região. O principal e mais conhecido, que acabou dando nome ao lugar, foi o naufrágio de duas embarcações de médio porte usadas pelos portugueses, bem em frente à praia, em 1753. Seguindo determinações da Corte Portuguesa, cerca de 250 colonos açorianos viajavam para o Rio Grande do Sul quando ocorreu o acidente, no local hoje chamado de Ponta dos Naufragados. Só 77 colonos escaparam, dos quais parte ficou na Ilha e outros seguiram para Laguna e para o Rio Grande do Sul.


Na segunda metade do século XIX, foi construído um farol naquela ponta. Este farol, que se ergue no alto do cabo rochoso, foi inaugurado em 3 de maio de 1861.  A partir desta época, famílias migraram para a região, um engenho foi construído e abriu-se os primeiros roçados na mata. Empreendimentos coloniais que prosperaram e obrigaram a importação de escravos. Deste período restaram algumas ruínas que ainda podem ser observadas à margem da trilha. Também podem ser percebidas algumas melhorias no traçado do caminho, degraus e valos de drenagem. Nas construções era utilizado o óleo de baleia misturado a pedras e conchas para erguer as paredes.



A trilha até Naufragados é bem marcada, bastante utilizada pelo menos desde a inauguração do farol, reúne grande parte dos atrativos procurados pelos adeptos do ecoturismo. Mata Atlântica exuberante, percurso de nível médio sem grandes dificuldades, monumentos históricos e uma história marcada por tiros de canhão e naufrágios. Com total de três quilômetros, a trilha pode ser percorrida em 50 minutos, praticando-se um trekking tranquilo através dos dois morros que separam a Caieira da Barra do Sul, última comunidade da Baía Sul, e a Praia dos Naufragados. Com cerca de 20 minutos de caminhada, o caminho passa por um verdadeiro túnel de vegetação nativa. Um pouco mais adiante pode-se parar em um dos riachos para se refrescar e tomar água. Nessa trilha é praticamente impossível algum visitante conseguir se perder. Por ser um caminho bem marcado, basta seguir a trilha principal. Contudo, dois caminhos partem da trilha principal, podendo causar dúvida. O primeiro parte de um ponto no alto da primeira montanha e leva diretamente ao Farol, localizado no costão direito da praia. A outra trilha, menos conhecida, tem seu início já próximo à Praia dos Naufragados e segue à esquerda do caminho principal, levando à Ponta do Pasto, na direção da Praia do Saquinho.

Toda a beleza de Naufragados, se descortina logo que saímos da trilha e chegamos a linda praia de areias brancas. Com infraestrutura mínima , Naufragados não tem energia elétrica, não existem pousadas e a única opção é o camping. Na praia, que já foi deserta e está em área de preservação, poucas casas formam uma micro-comunidade, onde funcionam alguns pequenos e simples restaurantes, que transformam os raios do sol em energia elétrica utilizando placas solares. Daí a garantia de uma cervejinha gelada. Ali são servidas refeições à base de frutos do mar que não custam caro. No costão direito da praia, fica a  Ponta dos Naufragados, do alto do morro,  podemos contemplar a Ilha de Araçatuba onde estão as ruínas do Forte de Nossa Senhora da Conceição 1744 - O farol e três canhões que serviriam para proteger a baía dos invasores alemães na segunda guerra mundial.

A tranquilidade do lugar só é quebrada nos dias de mar bravo com ondulação de Sul quando as ondas ficam muito boas para à prática do surf.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 












quinta-feira, 11 de julho de 2013

Nossas imagens do XI Encontro Nacional da ABVC realizado em Florianópolis, SC.

No último feriado de Corpus Christi foi realizado o décimo primeiro Encontro Nacional da ABVC em Florianópolis, nas dependências da sede oceânica Jurerê do Iate Clube de Santa Catarina Veleiros da Ilha. Durante o evento que reuniu mais de 100 pessoas para as palestras e jantares, houve muita confraternização e passeios por Floripa, já que a programação permitiu as manhãs de folga para os participantes, com início das primeiras atividades após as 10 horas.


Vitória e Fernando - Pousada Jurerê Guest House


A primeira palestra foi de Flávio Jardim - Destino Azul


Nosso querido amigo Janjão comandante do Sweet


Família Planeta Água


Reunião de Almirantas e Mandantes...


Sede Oceânica Jurerê - Iate Clube de Santa Catarina


Palestrante Clóvis L Corrêa - Análise de Cartas Sinóticas


Sede Oceânica Jurerê - Iate Clube de Santa Catarina


Janjão, Ivany, Marta e Fernando


Palestra do simpático casal Mauriane e Luiz - Viver a Vela


Eduardo Moura - Metas da ABVC


Vilfredo Schürmann alegria e entusiasmo - Expedição Oriente


Boa companhia: Marta, Fernando, Ivan e Egle


Vitória - Pousada Jurerê Guest House


Eduardo, Fernando, Beltrão, Zanella e Napoleão


Workshop por Regina D'Elia - Culinária Embarcada


Marta, Vitória e Ivan degustando o macarrão ao Aliche Ubatuba


Sede Oceânica Jurerê Veleiros da Ilha


Napoleão e Paulo Fax (ABVC Interior)

A alegre palestra das irmãs Klink: Laura, Tamara e Marina - Klinks


Fernando e Ricardo Amatucci