segunda-feira, 30 de abril de 2012

Chove chuva, chove sem parar...

 
Aqui em Bracuhy, Angra dos Reis, chove sem parar... Ladislau Szabo, nosso amigo e tripula sobre isso diria: Aqui é o pinico do mundo, quando da de chover "puramordedeus"...

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Num final de semana desses...

 
O elegante Entre Pólos velejando em Porto Alegre
Foto clicada por Marcelo Carvalho
Clique na foto para ampliar

Num final de semana desses, matei a saudade de velejar no Entre Pólos. O amigo e comandante Ademir "Gigante" de Miranda fez o convite e eu que não sou bobo embarquei mais do que depressa... Hum ! Mais sobre o Entre Pólos, sua tripulação e andanças clica AQUI.

domingo, 22 de abril de 2012

Os 13 naufrágios com maior número de mortes da história


Nós estamos no centésimo aniversário do naufrágio do Titanic, provavelmente o mais famoso de todos, graças a Hollywood. Mas poucos sabem que esse não foi o pior de todos. Para “comemorar” a ocasião, aqui vão os 13 mais mortais naufrágios da história:

13 – MS Estonia
Data: 24 de setembro, 1994
Local: Mar Báltico
Número de mortos: 852

O MS Estonia estava cruzando águas agitadas quando os passageiros começaram a ouvir barulhos metálicos. Em poucos minutos, as portas de carga quebraram, fazendo com que o deck inferior fosse inundado, pouco antes dos quatro motores pararem completamente. Apenas os que estavam no deck superior conseguiram sobreviver.

12 – MV Bukoba
 
Data: 21 de maio, 1996
Local: Lago Vitória, Tanzânia
Número de mortos: 894

O MV Bukoba era uma balsa famosa pela regularidade. Não possuía coletes salva-vidas nem equipamentos contra incêndios. Mesmo assim a balsa sempre estava em movimento. Mas nesse dia, quando começou o trajeto, equipamentos grandes de cozinha, assim como pratos, talheres e panelas, começaram a cair e quebrar em um lado da balsa. O barulho assustou os passageiros, que correram para um lado do deck, fazendo o navio virar.

11 – HMT Royal Edward

 
Data: 13 de agosto, 1915
Local: Kandeliusa, Mar Egeu
Número de mortos: 935

O Royal Edward era um navio de passageiros, usado para transportar tropas britânicas durante a Primeira Guerra Mundial. Às 10 da manhã, ele foi atingido por dois torpedos alemães, e rapidamente enviou um sinal de SOS, antes de perder a energia. A popa afundou em apenas seis minutos. A maior parte dos homens estava nos decks inferiores, o que explica o grande número de mortos.

10 – SS Hong Moh

 
 Data: 3 de março, 1921
Local: Sul do Mar Chinês
Número de mortos: 1000

Em 1921, o navio de passageiros SS Hong Moh bateu nas Rochas Brancas, na Ilha de Lamock. O navio quebrou em duas partes; quando o primeiro bote de resgate chegou, três dias depois, a maior parte dos passageiros e tripulação já havia morrido.

9 – RMS Empress of Ireland
 
Data: 29 de maior, 1914
Local: Pointe-au-Père, Quebec
Número de mortos: 1012
O navio canadense Empress of Ireland estava descendo o Rio Saint Lawrence sob forte neblina quando colidiu com outro navio. O Empress afundou rapidamente, ao contrário do outro, que não afundou. Esse foi por muito tempo o pior desastre marítimo da história canadense. A carcaça permanece a cerca de 40 metros de profundidade, o que permite que mergulhadores cheguem até ali – inclusive para roubar relíquias.

 8 – MS al-Salam Boccaccio 98
 
Data: 3 de fevereiro, 2006
Local: Mar Vermelho
Número de mortos: 1018

O al-Salam Boccaccio já deixou o porto com condições ruins de tempo. Um incêndio começou na sala de motores e a equipe começou a usar baldes de água do mar para tentar extinguir o fogo. O incêndio parou por algum tempo, mas logo começou novamente. O capitão tentou voltar para o porto, mas como os sistemas de drenagem de água pararam de funcionar, o navio virou. Ventos fortes e condições do tempo dificultaram o resgate.


 7 – SS General Slocum
  
Data: 15 de junho, 1904
Local: East River, Nova York
Número de mortos: 1021

A balsa SS General Slocum estava carregando membros da Igreja Luterana-Evangélica para um picnic, quando um incêndio começou, na sala de lâmpadas. As chamas cresceram rapidamente, alimentadas pelo óleo e gasolina. O equipamento de segurança não estava em dia. Os coletes salva vidas queimaram e os botes estavam inacessíveis. No fim, os passageiros tiveram que pular, e aqueles que não sabiam nadar acabaram se afogando com as pesadas roupas da época.


6 – RMS Lusitânia
 
Data: 7 de maio, 1915
Local: Irlanda
Número de mortos: 1198

O Lusitânia saiu de Nova York carregando uma carga escondida de munições e contrabando para a Inglaterra, assim como passageiros civis. O navio afundou em apenas 18 minutos, após um ataque de torpedos. O evento gerou uma discussão se um navio de passageiros poderia ser considerado um alvo militar, já que era na época da grande guerra. 


5 – RMS Titanic
 
Data: 14 de abril, 1912
Local: Norte do Oceano Atlântico
Número de mortos: 1517
 Quando saiu para sua viagem, o Titanic era o maior barco de todos. Como todos sabemos, ele bateu em um iceberg e afundou no meio do oceano, em rota para a Nova York. Foi sua primeira e única viagem.

4 – SS Sultana
 
Data: 27 de abril, 1865
Local: Rio Mississipi
Número de mortos: 1547

O SS Sultana era um barco que cruzava o rio Mississipi usando como fonte de energia pás d’água, presas em grandes rodas. Ele afundou após a explosão de três das quatro caldeiras. Apesar de ser considerado o maior desastre marítimo da história americana, o evento teve pouca atenção na época porque o assassinato do presidente Abraham Licoln por John Wilkes Booth e o fim da Guerra Civil Americana haviam acontecido poucos dias antes. 


3 – MV Joola
 
Data: 26 de setembro, 2002
Local: Gâmbia
Número de mortos: 1863

 O Joola, uma balsa governamental desenhada para carregar um máximo de 580 passageiros, tinha pelo menos dois mil a bordo quando partiu durante uma perigosa tempestade, em 2002. Ela afundou em apenas cinco minutos, matando quase todos.


2 – SS Kiangya
  
Data: 4 de dezembro, 1948
Local: Rio Huangpu, norte de Shanghai
Número de mortos: 2750–3920

O Kiangya, um barco de passageiros repleto de fugitivos da Guerra Civil Chinesa, explodiu e afundou após bater no que se acredita ser uma mina deixada pela Marinha Imperial Japonesa

 
1 – MV Doña Paz
   Data: 20 de dezembro, 1987
Local: Filipinas
Número de mortos: 1565


A maior parte dos passageiros do MV Doña Paz estava dormindo quando o navio colidiu com o MT Vector, um navio tanque que carregava 8.800 barris de gasolina e petróleo. A colisão gerou um incêndio no Vector que se espalhou para o Doña Paz, deixando os passageiros sem escolha a não ser pular nas águas infestadas de tubarões. As estimativas de mortos variam devido aos passageiros não identificados, podendo ser maior do que quatro mil, fazendo deste um dos mais mortais naufrágios da história.

Fonte: [GizModo]
Colaboração: Giovani Frisene
Marinheiro de Convés
Capitão Amador | Dive Master
47-9697- 9960 


  

terça-feira, 17 de abril de 2012

Acidente com veleiro na Baía de São Francisco, EUA mata cinco tripulantes

 
Posted by Picasa

Cinco de oito pessoas a bordo de um veleiro competindo na Baía de San Francisco morrem após acidente...  Mais fotos e vídeio em MailOnline (texto em inglês)

Colaboração: Ricardo Amatucci e Eduardo Schwery

Inscrições para a XXIV REFENO já estão abertas

 
Veleiros na piscina do Cabanga Iate Clube


A partir de hoje as inscrições para a XXIV REFENO estão abertas.

A ABVC recomenda fortemente que os participantes do Costa Leste aproveitem esta oportunidade para conhecer Noronha, através da Refeno.

Nosso calendário foi programado de maneira a permitir a participação dos Comandantes tanto na Aratu-Maragojipe, quanto no Simpósio de Segurança do Navegador Amador e na Refeno, pois consideramos que esses eventos são importantes e únicos.

Lembramos que o Aratu Iate Clube e o próprio Cabanga Iate Clube, facilitam as estadias que antecedem à largada da Refeno.

Aproveite a chance. Com organização, dá tempo inclusive de deixar o veleiro lá pra cima com segurança e voltar para sua cidade de origem para resolver algum problema de trabalho ou familiar, e voltar a tempo de fazer a Refeno.

Para fazer as inscrições para a XXIV Refeno, entre na página www.refeno.com.br e em "A Regata", clique na aba correspondente, escolhendo "Inscrição" no menu do lado direito da tela.

Para gerenciar a sua inscrição, as dos tripulantes, imprimir boletos e editar os dados da tripulação e do barco, entre na página "A Regata", clicando na aba correspondente, e escolha "Gerenciar Inscrição" no menu do lado direito da tela.

Reserve já a sua vaga aproveitando o período de inscrições no melhor valor, de acordo com o Aviso de Regata.

O Cabanga Iate Clube recebe de braços abertos os inscritos na Refeno, tanto na ida quanto na volta, e cá entre nós, conhecer o paraíso de Noronha (ou voltar lá pra quem já foi), é maravilhoso.

Se você estava em busca de uma desculpa para subir com o Costa Leste, essa é a melhor...

Até a próxima novidade,
Ricardo Amatucci
ABVC

Quem vai ao mar por diversão vai ao inferno por prazer...

 
Fernando Maciel e Marcelo "Lampadinha" Kupka

A máxima du Lés Glenans: "Quem vai ao mar por diversão vai ao inferno por prazer"...
Em nossa viagem de Porto Alegre/RS. à Vitória/ES. com o valente Deltinha 26', nem tudo foram flores, digamos que, a chegada na Ilha do Farol em Cabo Frio/RJ. foi com bastante "emoção"...

domingo, 15 de abril de 2012

A felicidade nas pequenas coisas...


Pescador no Saco da Longa, Ilha Grande - RJ.
Foto Vitória Maciel

Os mais sábios sabem, por experiência, que a magia da vida está nas pequenas coisas. Nos pequenos gestos, nas pequenas criaturas, nos pequenos grandes momentos do dia-a-dia. Os mais sábios dizem isso. Os mais exigentes - porque ainda lhes falta sabedoria - não se contentam com os pequenos nadas e querem sempre mais e mais. Chegarão ao que pretendem?! Duvido. Chegarão, isso sim, a um permanente estado de insatisfação em que mesmo um pequeno grande nada é uma imensidão de descontentamento que leva a pensar que, afinal, talvez a vida não valha assim tanto a pena. A vida é só isto?! "Nãaaaa"... - pensa um insatisfeito. Grande insensatez! Afinal, a vida não é mais do que um acumular de pequenos feitos, de pequenas vitórias, de outras tantas derrotas. A vida é... a vida. Por isso não vale a pena esperar pelo ilusório, almejar o amanhã esquecendo o presente e as suas pequenas magias. A felicidade estará nas pequenas coisas? E as grandes, o que são afinal? O amargo da boca de quem sabe que nunca as poderá fazer perdurar...

terça-feira, 10 de abril de 2012

Kawasaki reclama: Jet Ski é marca; o nome do veículo é moto aquática

Logo, o veículo acima é uma moto aquática...


A Kawasaki Motores do Brasil, enviou um comunicado à imprensa explicando que Jet Ski é uma marca pertencente à empresa e não um tipo de veículo. O nome mais corriqueiro utilizado no mercado é "moto aquática". Segundo a empresa, o uso indevido de sua marca como sendo o produto, está prejudicando a imagem da Kawasaki com os recentes acidentes em São Paulo e no Piauí. A Kawasaki informa que a marca Jet Ski está registrada no Brasil desde 1985 perante o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) e no mundo desde 1973. Nenhuma das três motos aquáticas envolvidas nos recentes acidentes são da marca Jet Ski.



segunda-feira, 9 de abril de 2012

Os últimos momentos do MAR SEM FIM...

 

Os imprescindíveis chilenos – 8/4/2012

 Por João Lara Mesquita

5/4/2012

A partir das 11h40.

O navio Almirante Maximiano chegou em Fields às 12 horas para nos ajudar. O vento zunia a mais de 45, 50 nós. O navio brasileiro ficou ao largo, bem próximo da baía Fields, esperando o desenrolar dos acontecimentos.

Acabou sendo seriamente ameaçado pelo gelo. O vento fortíssimo fazia com que enormes blocos ameaçassem encurralar o navio. O Comandante Pinto Homem, em uma ação correta para salvar seu barco e tripulação, entrou em contato, via rádio, para informar que sairia em busca de abrigo ou seria preso irremediavelmente. Navegaram para a baía Potter onde fica a base argentina Carlini.

Enquanto isto, na base Fields, junto aos eficientes marinheiros chilenos, comandados pelo Capitão de Fragata Eduardo Rubilar Mancilla, nós aguardávamos a entrada do vendaval, torcendo para o Mar Sem Fim permanecer ancorado. O vento aumentava minuto a minuto. Eu e Plínio fomos convidados pelo comandante, acompanhado por seu segundo, Felipe Fuentes Lopez, para um uísque em sua sala privada.

Leia mais clicando AQUI.

Colaboração: Fernando Sheldon Jr


domingo, 8 de abril de 2012

Mar Sem Fim de João Lara Mesquita, Naufraga na Antártida


Embarcação brasileira naufraga na Antártida, sem vítimas. O barco, que pertence ao jornalista João Lara Mesquita, foi pressionado por blocos de gelo e acabou naufragando.


Fonte:  Estadão.com.br
A embarcação de bandeira brasileira "Mar Sem Fim" naufragou neste sábado, 7, na Baía Maxwel, Enseada Ardley, em frente à Base Chilena "Presidente Eduardo Frei Montalva", na Antártida.

Segundo nota da Marinha brasileira, antes do naufrágio os quatro tripulantes do barco, entre eles Lara Mesquita, ex-diretor da Rádio Eldorado, tinham sido resgatados e levados para a base chilena. O naufrágio aconteceu, segundo a nota, pela compressão sofrida pelo acúmulo de gelo ao redor do iate.

O site chileno radiopolar.com informou que os quatro tripulantes foram resgatados na quarta-feira. No dia seguinte, Lara Mesquita publicou em seu blog Mar Sem Fim: "A temperatura desceu para menos 9 graus centígrados. O furacão deve entrar esta noite ou madrugada. São esperados 80 nós de vento (cerca de 150 km por hora). A temperatura deve cair para menos 14ºC. Nunca torci tanto para uma previsão estar errada. Este será o dia decisivo para o Mar Sem Fim." Ao site, o jornalista informou que estava fazendo um documentário sobre a Antártida.

A embarcação, avaliada em US$ 700 mil estava segurada. Os quatro tribuplantes desembaracaram hoje às 21h em Punta Arena, no Chile.
Colaboração: VELEIROSEVENTOS [veleiroseventos@ig.com.br]

sábado, 7 de abril de 2012

terça-feira, 3 de abril de 2012

Gigafoto Rio de Janeiro Maravilhoso em 360º

Tenha uma visão global do  RIO DE JANEIRO

  
Veja a primeira, única e maior gigafoto já feita do Cristo no Corcovado. A imagem tem 138.286 x 36.532 Pixels, ou seja, mais de 5 Giga pixels "reais". 
Esta giga foto composta a partir de 685 clicks  cobre 190 graus de visão foi produzida no dia 10 de janeiro de 2011. 
Clique no link a seguir: http://multimedia.odiaonline.net/

Colaboração: João Calmon (Janjão) Veleiro Sweet

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Onde você escondeu a piranha marinizada ?

 

"Tuuudo bem minha paixão, agora que você finalmente esta convencida de que eu estou sozinho, por favor volte para o clube. Eu não demoro... Em seguidinha estarei lá fazendo companhia pra você docinho..."