sexta-feira, 30 de março de 2012

Weber do Acauã toma escabelada¹ forte em Búzios

O Acauã do comandante Weber e da mandante Miriam...
  
No inicio desta semana recebi via grupo ABVC, o relato abaixo escrito pelo Weber do Acauã, inicialmente endereçado ao comandante Eduardo Schwery do Veleiro Regwell. Li e não resisti a tentação de postar aqui:

Vocês devem ter noticias do tornado que judiou da cidade de Búzios neste final de semana passado né?

Amigos, aqui realmente a coisa não foi fraca... Eu acompanhando a previsão percebi um nordeste mais forte se aproximando, sabia que chegaria no final da tarde. Tratei de levantar ferro (pois estava entre as escunas) e fui para o meio da baia de Búzios, joguei 2 ancoras e 50 m. de cabo. Depois de muitos raios, escureceu totalmente, e exatamente às 18:45 h. escutei o forte barulho da chuva chegando... Olhei pra fora e não pude acreditar na massa de água que se aproximava! Quando o vento chegou, o barco aproado a este vento achatou-se na água, como se uma grande mão tivesse se apoiado sobre o convés. O vento acelerava cada vez mais... De repente, passa por mim como se fosse uma bala ( se me pega no rosto me estraga...) o capacete de fibra que é um console do convés... Este, era fixado com sikaflex e o diabo do vento arrancou. O capacete passou toda extensão do barco, bateu no suporte do motor de popa e levantou voo. Em momento algum vi o dito encostar na água, voava como se fosse uma folha papel. 

O Acauã agora adernou... Pasmem 45 graus e não voltou mais! Totalmente adernado, obviamente virou um caos dentro do barco, caiu tudo que estava solto a BB. Aí eu vi a cruzeta encostar na água... E o maldito não subia, isto me atormentou, eu não podia acreditar no que via, e assim fui de lado, como um tronco em córrego, direto para a praia. Passamos entre as escunas, totalmente adernados, soltando pedaços de toldos , bandeirolas, coletes, pedaço de madeiras ( não sei da onde).

Ao chegarmos na praia, a quilha encostou no fundo piorando a adernada, aí sim a cruzeta entrou até a metade na água, o bote que estava a contra bordo ( do lado BE, que adernava)... Acreditem, ele só não embarcou no cockpit pelo costado, por causa do último cabo de aço do púlpito. O Acauã deitou sobre o bote, o costado do bote arrancou a bóia circular do barco que fica lá em cima, mais da metade da altura da targa, como vocês sabem... O caos foi total quando o mar entrou por toda a lateral do cockpit, não havia vasão suficiente, pra tanta água. Fiquei dentro de uma piscina, tão cheia que a água entrava pela gaiúta de entrada, fazendo uma pequena cascata nas escadas.

Quando o vento diminuiu, o barco tentou ficar equilibrado, mas a quilha batia no fundo com as ondas... Parecia que a quilha iria empurrar os paineiros pra cima. Bem, depois de 20 minutos de terror, aquela zoeira parou totalmente, até mesmo a chuva se foi... Então, coloquei uma âncora pelo través amarrada na ponta de uma adriça, e com a catraca adernei o barco  com motor a pleno... Leme no meio, eu na proa puxando o cabo de âncora que nem um doido, achava que minhas costas iriam rasgar-se ao meio. Finalmente consegui desencalhar isto eram quase 23:30h. No balanço geral, avaria em um monte de eletrônicos, perdemos um monte de utensílios para o mar e até a geladeira parou, a pobre  ficou dentro da água. Agora estou tentando colocar tudo em ordem, mas não se preocupem, assim é a vida de quem esta no mar. Este é apenas um relato para ser divido com os amigos, desta peleia, apesar das grandes avarias no barco e a grande perda de materiais, fica o saldo positivo, afinal, estamos bem e o Acauã esta flutuando. Confesso a vocês que com ventos de 55 nós, até minhas bombachas eu não sei a onde foram parar!!!! Molhado, moral avariado, mas não se mixemos pros homens, pois não esta morto quem peleia meus amigos.  

¹ Vento muito forte, porranca...

Praia dos Ossos/Búzios/RJ.
Weber
Veleiro Acauã
                                                                                           

O gaúcho Weber (centro) comandando um de seus famosos churrascos...

quinta-feira, 29 de março de 2012

Quadrilha que roubava barcos de luxo é presa em SP

A Polícia Civil de Taubaté, no Vale do Paraíba, prendeu uma quadrilha formada por marinheiros, que roubava barcos de luxo no litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro.



 Por Bandnews

terça-feira, 27 de março de 2012

Estão abertas as incrições para o Costa Leste 2012

 

A ABVC apresenta o programa do CRUZEIRO INTERNACIONAL DA COSTA LESTE 2012.

O Costa Leste é um cruzeiro bienal (anos pares) ao longo da costa leste do Brasil (Rio - Salvador), que vem acontecendo há mais de nove anos com enorme sucesso. O principal objetivo é levar veleiros de comandantes iniciantes integrados em flotilha com outros, de maior experiência, pela costa, com segurança.

A organização do Costa Leste prevê tempo necessário para a participação na regata Aratu-Maragojipe (www.aratuiateclube.com.br) e também na Refeno (www.refeno.com.br). Quem quiser aproveitar a estadia em Salvador, poderá participar do X Simpósio de Segurança do Navegador Amador.
Ficou interessado ? Saiba mais detalhes sobre o Costa Leste 2012 e faça sua inscrição clicando em ABVC

segunda-feira, 26 de março de 2012

Um novo ciclo para o amigo dos velejadores Hugo Nunes

 
Hugo Nunes - Um novo clico

Estamos postando o e-mail recebido na semana passada do amigo Hugo Nunes de Bracuhy, Angra dos Reis - RJ. A família Planeta Água, agradece toda a atenção e carinho dispensados à todos nós durante estes anos. Desejamos a você Hugo, "verdadeiro amigo dos velejadores" - tudodebom.com ! 
Segue abaixo o e-mail do Hugo:

Aos meus amigos, usuários e condôminos de Bracuhy e Angra dos Reis.

Após 31 anos de Bracuhy e 25 anos de Marina, estou me desligando da direção da mesma.

Agradeço de coração todo o apoio recebido, as manifestações de carinho e a ajuda que recebi durante todo esse tempo.

Contem comigo para todas as horas e para qualquer coisa, estarei sempre perto de vocês.

Muito obrigado.

Hugo da Silva Pereira Nunes

PS: O Blog continua
Meus e-mails continuam os mesmos.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Preso mais um integrante da quadrilha que assaltava barcos em Paraty

Quadrilha que assaltava no litoral da Costa Verde no Rio de Janeiro, também agia em Ubatuba, no estado de São Paulo.

 

Ilha do Cedro em Paraty, onde estava ancorada uma das embarcações assaltadas.

Gabriel Paiva - O Globo
RIO - A polícia informou nesta segunda-feira que o marinheiro Vilker Vieira dos Santos, o Piti, de 31 anos, preso na manhã de sábado em Angra dos Reis, confessou ser um dos cinco homens encapuzados que assaltaram uma lancha de 64 pés, na madrugada do dia 21 de janeiro, em Paraty. A embarcação, de um médico paulista, estava fundeada próximo à Ilha do Cedro. O revólver Taurus, um dos pertences roubadas durante o assalto que durou duas horas, foi recuperado na sexta-feira nas mãos de um receptador, tio de Viti, que foi preso pela polícia de Ubatuba. Outros dois assaltantes e a mulher de Piti já estão presos.
Interrogado na manhã de domingo por policiais de Angra dos Reis, Piti confessou ter participado também do assalto a outra lancha em Paraty. Ele negou, contudo, a participação direta no assalto a uma lancha em Ubatuba. Admitiu apenas que emprestou um barco para que seus cúmplices praticassem o assalto. O marinheiro, que já morou em Angra, voltou à cidade para se encontrar com uma amante na Estrada da Cachoeira, em Bracuí. A casa da mulher estava vigiada pelos policiais, que surpreenderam Piti na manhã de sábado. O marinheiro já respondeu a um inquérito por extorsão mas foi absolvido porque as vítimas não compareceram na audiência na justiça.
— Já temos as informações para prender os demais integrantes da quadrilha — disse o delegado de Angra dos Reis, Francisco Benitez, que foi designado pela chefe de Polícia Civil, Martha Rocha, para investigar o caso.
Já estão presos Marcos Abdias dos Santos, o Dudu, Marlon Belonha Raimundo e Michele de Jesus Fernandes, mulher de Piti. Michele usou cartões e cheques de vítimas de assaltos em lojas nas quais já trabalhou em Ubatuba. Com ela foram apreendidos vários equipamentos roubados de lanchas, inclusive um motor Mercury.
— Piti confessou que as violências contra as vítimas eram praticadas a mando de Dudu. Confirmou que os bandidos simulavam fotografar as pessoas em situações constrangedoras e ameaçavam colocar as fotografias na internet. O objetivo era evitar que as vítimas procurassem a polícia — disse o detetive Armando, um dos policiais que prenderam Piti.
O presidente do Sindicato das Marinas do Estado do Rio, Antônio Carlos Lobato, disse que a ação da polícia foi rápida e eficiente para esclarecer os assaltos em Paraty. Ele lamentou, contudo, a desativação do posto da Polícia Florestal que funcionava na Marina Verolme e era responsável pelo policiamento, por terra e mar, de toda a Baía da Ilha Grande
— Embora cuidassem da fiscalização do Meio Ambiente, os PMs faziam rondas constantes de lancha e davam uma sensação de segurança na Baía da Ilha Grande, juntamente com o pessoal Grupamento Aeromaritimo (GAM). Os PMs foram transferidos para a sede do Batalhão Florestal, em São Gonçalo. O sindicato e os ambientalistas da Costa Verde estão pedindo ao governador Sérgio Cabral que reveja esta decisão — disse Lobato.
As investigações começaram depois que a lancha de 64 pés do médico paulista foi assaltada por cinco homens encapuzados. Eles levaram terror à família por duas horas e fugiram levando um dos motores do iate, R$ 1.400, um revólver Taurus registrado, GPS e outros equipamentos da embarcação, além de quatro celulares. O assalto aconteceu na mesma época em que a Capitania dos Portos fez uma inspeção na região para verificar as condições de segurança das embarcações. A lancha do médico tinha sido uma vistoriadas no dia 20.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Solução fácil para o problema das novas ilhas e bancos do Rio Guaíba em POA

 
Sabem como o Delegado da Capitania de POA resolveu a situação dos assoreamentos? Proibiu a navegação na área!
http://www.popa.com.br/_2012/CRONICAS/DMAE-PISA/DELEGACIA/area-interditada-pela-delegacia/index.htm
Parece brincadeira, mas quando pessoas despreparadas recebem cargos importantes dá nisto.
Mas depois de 12 anos ninguém mais se importa, a incompetência e arrogância venceu.

Colaboração Comandante Mario Ramos (Veleiro Redboy)



sexta-feira, 16 de março de 2012

Excesso de chuva causa transtornos em Porto Alegre

 
O velho lobo do mar Ladislau Szabo, dando seu apoio aos motoristas que passavam em frente a PUC.
Porto Alegre teve mais um dia daqueles. A chuva que caiu na manhã da quarta-feira 14/março  gerou um acumulado de mais de 89mm em alguns bairros da cidade, ou seja, durante cerca de cinco horas, choveu mais do que a metade da média histórica na Capital no mês de março, que é de 104,4mm. Tamanho volume de água em tão pouco tempo só poderia resultar em alagamentos e diversos transtornos em quase toda a cidade. Na Avenida Ipiranga em frente a PUC, a sorte dos motoristas que por ali transitavam, foi poder contar com o solicito Velho Lobo do Mar Ladislau Szabo, que não mediu esforços para ajudar quem precisou de socorro. Parabéns Lalau !

quinta-feira, 15 de março de 2012

Velejador foi parar na Delegacia

 
Delegado da Marinha chamou autor de artigo no Popa.com.br para depor e apresentar provas
Danilo Chagas Ribeiro
14 Mar 2012
A publicação de artigo informando sobre o Desleixo Público no Rio Guaíba acabou levando o autor à Delegacia da Capitania dos Portos em Porto Alegre, na sexta-feira passada, dia 09/03/12.

Resumo
Uma obra da Prefeitura de Porto Alegre formou morros submersos no Rio Guaíba, que são sérios obstáculos à navegação e tem causado acidentes. O Delegado da Marinha criticou artigo sobre esse fato, que foi publicado no Popa.com.br, alegando que a Marinha havia sido atingida, por ser responsável pelo tráfego aquaviário. Chamou o autor à Delegacia para prestar depoimento e a levar provas do que disse, causando repúdio no meio náutico. O local afetado pela obra tem tráfego de embarcações de recreio e é raia de Centro de Treinamento Olímpico. Diversas embarcações tem encalhado nos bancos de areia, e não há garantias de que os bancos serão removidos ou sinalizados. A sinalização está péssima ou ausente. O Delegado disse que vai abrir inquérito contra quem for reclamar de encalhe, por força da lei, e recomenda navegar por um estreito canal de navegação, o que é impraticável para embarcações à vela e para realizar regatas. Em entrevista ao jornal de maior circulação de Porto Alegre, o Delegado, fazendo referência ao problema, indaga: "Se você tem uma estrada pavimentada e uma estrada de chão batido e prefere ir pela de chão batido, você vai reclamar quando estraga o amortecedor em um buraco?". O Delegado não é a Marinha. Estamos pedindo socorro à Marinha.
 
Leia o artigo na íntegra clicando AQUI.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Polícia identifica quadrilha que assaltava lanchas em Paraty

Ilha do Cedro, em Paraty, onde estava ancorado um dos iates assaltados
Gabriel de Paiva / O Globo

RIO - Um trabalho conjunto da polícia do Rio e de São Paulo levou à identificação da quadrilha que estava assaltando lanchas em Paraty, no Rio, e em Ubatuba, no litoral paulista. Duas pessoas estão presas e uma terceira está foragida. A polícia investiga ainda um quarto suspeito: ele foi marinheiro durante quatro anos da família do médico paulista assaltado em janeiro passado em Paraty. A quadrilha usava a mesma estratégia em todos os ataques: aterrorizava as vítimas e fazia ameaças para que não registrassem queixa na polícia. Os bandidos também exigiam as senhas dos cartões bancários dos assaltados, para fazer saques.

As investigações começaram depois que a lancha de 64 pés do médico paulista foi assaltada por cinco homens encapuzados. Eles levaram terror à família por duas horas e fugiram levando um dos motores do iate, R$ 1.400, um revólver Taurus registrado, GPS e outros equipamentos da embarcação, além de quatro celulares. O assalto aconteceu na mesma época em que a Capitania dos Portos fez uma inspeção na região para verificar as condições de segurança das embarcações. A lancha do médico tinha sido uma vistoriada no dia 20.

Designado para investigar o caso, o delegado de Angra dos Reis, Francisco Benitez, entrou em contato com o delegado de Ubatuba, André Costilhas, para tentar ouvir o médico — que havia se recusado a depor. Benitez descobriu então que a polícia de Ubatuba também estava investigando um assalto praticado na região, com as mesmas características do que ocorrera em Paraty.

Os dois delegados trocaram informações, ouviram muitos marinheiros e chegaram até o nome de Vilke Vieira Sacramento, o Piti, de 31 anos, que deixou Angra — onde tinha passagem pelo polícia como suspeito de assalto — há um ano e foi morar em Ubatuba, onde trabalhava em marinas. Ele, que teve a prisão temporária pedida pela polícia, está foragido. Os policiais, no entanto, descobriram o endereço da companheira de Piti, Michele de Jesus Fernandes, em Ubatuba, e a prenderam.

— Na casa dela foram encontrados vários equipamentos roubados em barcos, relógios, cremes importados e ainda lacrados, além de um motor Mercury 25, semelhante ao do iate do médico. Também foi apreendido um carro e um barco de alumínio, provavelmente usado no assalto de Paraty — disse Benitez.

Michele usou cartões e cheques de vítimas de assaltos em lojas nas quais já trabalhou em Ubatuba. Através dela, os policiais de Angra chegaram a outro integrante do bando, Marcos Abdias dos Santos. Ele foi preso ontem à noite, no Parque das Palmeiras, em Angra, e será transferido para Ubatuba.

— O bando era formado em sua maioria por marinheiros que conheciam bem a rotina das vítimas. Um dos investigados, que trocou cheques de vítimas, foi marinheiro da família do médico paulista durante quatro anos — disse o delegado.

As vítimas do assalto que ocorreu em São Paulo terão condições de identificar os acusados. Já o médico paulista e seus parentes não poderão fazer o mesmo, porque os bandidos estavam encapuzados. Benitez, contudo, garante que o caso está elucidado:

— As frases ditas pelos criminosos nos dois casos foram as mesmas. A única diferença entre os dois roubos é que, no assalto de Paraty, os ladrões não mostraram os rostos, porque certamente seriam reconhecidos. Os dois assaltos foram praticados pela mesma quadrilha. O caso já está elucidado, só faltam alguns elementos para fecharmos os inquéritos de Ubatuba e de Paraty.

O prefeito de Paraty, José Porto, elogiou o trabalho da polícia:

— Nós sabíamos desde o começo que a polícia ia chegar aos criminosos, porque assaltos como o ocorrido em janeiro não são comuns em Paraty.

quinta-feira, 1 de março de 2012

Lopes Mendes, mar incrivelmente cristalino

A pedido de nossa proeira, retornamos mais uma vez à Lopes Mendes, desta feita pra uma "surf session" (como diz a guria). Barco na praia do Pouso, Enseada de Palmas e trilha em "nóis". A trilha que leva da praia do Pouso até Lopes Mendes, tem aproximadamente 1,2 km e é considerada de nível médio. Pra quem tem um corpo estragadinho que nem o meu, da pra fazer a trilha sem morrer do coração em 20 minutinhos.


Lopes Mendes, Ilha Grande - Angra dos Reis, RJ.

Vitória espera as ondas cristalinas de Lopes Mendes

Espera recompensada

Tubo ?????

Nossa proeira...

Vida dura...

É cristalino ou não ?

O que não falta é estilo...
Posted by Picasa