quinta-feira, 9 de agosto de 2012

MAR & FLORESTA

 
O Planeta Água fundeado em frente a Vila do Abraão na Ilha Grande.
By Almiranta Marta

Navegar pra gente também tem gostinho de descoberta, ao mesmo tempo que exploramos os lugares por onde passamos, também nos descobrimos um pouquinho mais. Exemplo disso é o gosto que adquirimos pelo trekking. Na companhia do capitão e de nossa filha Vitória, caminhar em meio a mata atlântica é uma sensação maravilhosa. A vontade de atingir a meta, o ponto pré-estabelecido, o desafio e o gosto pela aventura já nos contaminaram à muito tempo.

Com o Planeta Água fundeado nos mais diversos cantos e recantos, logo damos um jeito de descobrir novas trilhas e lá vamos nós explorar estes paraísos próximos. Afinal, estão só a algumas horas, perfeitamente atingíveis com uma saudável caminhada. Meu sentimento que antes era de desconfiança e até beirava o medo, agora é de pura liberdade. Me descobri adepta do turismo ecológico e “quase” montanhista.

A combinação da beleza do litoral e das matas é de tirar o fôlego. Ilhas paradisíacas, praias, enseadas e montanhas, lá vai a família Planeta Água bisbilhotar o que tem do outro lado daquele morro. Querem saber o que tem ? – Pois bem, é outro lugar igualmente lindo. Vegetação exuberante, imponentes conjuntos de formações rochosas, cachoeiras e recantos paradisíacos. Assim são a Ilha Grande no Rio e Ilhabela em SP., dois paraísos pelos quais somos apaixonados e revisitamos no mês passado aproveitando as férias da Vitória.

Chegamos em Angra com chuva e frio... E os dois nos fizeram companhia por quatro dias. Já fundeados na Vila do Abraão, Ilha Grande, devido ao mau tempo cancelamos com o guia João Pontes nossa subida ao Pico do Papagaio. O Pico do Papagaio tem 982 metros de altitude, é o segundo ponto mais alto da Ilha Grande e se sobressai grandioso e fascinante no cenário da Ilha Grande.
Mesmo com o tempo ruim insistindo em nos boicotar, conseguimos fazer uma boa caminhada. Já passava do meio da tarde quando iniciamos a trilha T14, Vila do Abraão – Dois Rios, essa trilha percorre o antigo caminho do presídio, e para chegar até as ruínas são 7.000m. Nosso objetivo era clicar algumas fotos no mirante que existe já quase no alto da serra, numa curva fechada à direita, a mata cede espaço para uma magnífica visão da Enseada do Abraão. Estávamos na Curva da Morte “crédo”...! Esta curva foi assim chamada pelos inúmeros acidentes ocorridos com veículos do Presídio, que acabaram resultando em algumas mortes. Longe de sua fama, a curva nos oferece um espetáculo de vida e exuberância. Imagens registradas, iniciamos a volta com passo acelerado pra não sermos pegos pela noite na trilha. Havíamos gasto 01:40h pra chegar ao mirante.

Tristes nos despedimos deste paraíso chamado Ilha Grande. De volta a Marina do Bracuhy, deixamos o Planeta Água aos cuidados do Edemilson “baianinho”, marinheiro que cuida de nossos barcos desde o Deltinha 26’. Sem muita demora, pegamos a estrada rumo a São Sebastião, SP. Nossa próxima parada e já no caminho pra casa, Ilha Bela, outro paraíso. Chegamos na ilha com um sol maravilhoso, a Vitória até banho de piscina tomou.

Caminhando final de tarde no Perequê, acabamos entrando na agência Caiçara Turismo e marcamos um passeio para amanhã à Praia de Castelhanos. Ao acordarmos na manhã seguinte, ficamos aborrecidos, pois o tempo estava totalmente nublado e duvidoso. Mas, na recepção do hotel o pessoal sugeriu que fôssemos assim mesmo, garantiram que a aventura valia a pena com qualquer tempo. Lá fomos nós, empoleirados num Jipe 4x4 e, sacudindo por uma estrada sinuosa com 22 Km de terra, subidas, pedras e descidas que saindo do nível do mar atinge 800m de altura. Chegando em Castelhanos, ficamos encantados com a beleza desta praia, o tempo abriu e o sol nos deu as boas vindas. Castelhanos é a maior praia de Ilhabela, e oferece aventura do começo ao fim do passeio.

Deixamos nossos casacos e mochilas no bar do Alemão, nota 10 para o atendimento, nosso novo amigo Daniel foi extremamente atencioso e aqui encontramos banheiros muito limpos, bebidas geladas e boa comida. Com nosso guia Marcelo (driver do Jipe), fomos para a trilha da Cachoeira do Gato, subida de 40 minutos. Parecia que tinham dado corda no Marcelo, ele iniciou a trilha com uma passada acelerada e, de tempo em tempo tinha que dar uma parada pra nos esperar. Já andamos por muitas trilhas, e conhecemos algumas dezenas de cachoeiras, mas nenhuma igual a Cachoeira do Gato. Eu fiquei boquiaberta com tamanha beleza. Não me cansava de dizer: - que coisa maravilhosa ! Mais uma vez “super-valeu”. Novamente, agradeço à Deus e ao capitão pelas oportunidades que temos de conhecer estes lugares de beleza e natureza exuberantes.
 Clique na imagens para ampliar.

Noite na Vila do Abraão.

O Pico do Papagaio encoberto pelas nuvens.

Vitória na trilha T14 Vila do Abraão - Dois Rios.

Inicio da trilha para o Pico do Papagaio... Ficou pra próxima !

Vista do mirante da Curva da Morte.

Saco da Capela, Ilhabela - SP.

Vitória e o capitão na trilha da Cachoeira do Gato, Ilhabela.

Capitão e a almiranta na trilha da Cachoeira do Gato, Ilhabela.

Praia de Castelhanos, Ilhabela - SP.

Cachoeira do Gato, Ilhabela - SP.

3 comentários:

  1. Prezados Fernando, Marta e Vitoria.

    É sempre uma "viagem" prazeirosa acompanhar as aventuras da tripulação do Planeta Agua.

    Abraços, BVs, e votos para continuarem a desfrutar desta natureza exuberante.

    Miranda
    Kadon - Ilhabela

    ResponderExcluir
  2. Caro amigo Miranda,
    ficamos muito felizes com seu comentário... Tua mensagem é um forte incentivo para continuarmos a fotografar, escrever e postar atualizando nosso blog.
    Forte abraço pra ti e até breve !

    ResponderExcluir
  3. Família Planeta Água,

    Belo post, acho que a Almiranta deve escrever mais neste blog..rsrsrs. Realmente, são dois paraísos que nós do Tinguá também adoramos e também fomos "picados" pelo vírus das trilhas...é um ótimo complemento as navegadas.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir