quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Uma regata no lendário Veleiro Madrugada

Na popa o comandante Niels Rump dava as dicas de como velejar a lenda "Madrugada"
Semana passada, Quarta-Feira dia 16, fui convidado pra correr uma regatinha no Veleiros do Sul aqui em Porto Alegre. O veleiro no qual eu estava prestes a exercitar minhas habilidades regateiras era nada mais nada menos que o super campeão "Madrugada", com 32 anos este belo veleiro foi totalmente restaurado pelo seu atual comandante Niels Rump da Farol Nautica, sempre muito atencioso e simpático, Niels fez questão me apresentar ao Madrugada. A regata era a 13º edição da Wet Wednesday – Velejaço Noturno - foi bem concorrida e teve como pano de fundo um ótimo final de tarde no Guaíba. O vento soprou de SE com 15 nós de intensidade. A largada aconteceu às 19h35min bem em frente ao Veleiros do Sul e, contou com a participação de 18 barcos. Pra nossa alegria, fomos o primeiro barco a cruzar a linha de chegada, às 20h39min17s. Na verdade, isto não é nenhuma novidade para a tripulação oficial do Madrugada, tanto é assim que, a champagne esta sempre na geladeira a espera da comemoração.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Passageira clandestina encontrada no Veleiro X-Pa

Companhia nada agradável... Foto Vado do Veleiro X-Pa

Semana passada uma discussão no Grupo da ABVC me deixou bem impressionado. O assunto pra mim nada agradável, dava conta do encontro de velejadores e cobras na Ilha da Cotia em Paraty. De acordo com o narrado pelo comandante Vado do Veleiro X-Pa (sociedade com o Peter Menzel que é socio da ABVC), o assunto é muito sério, Vado declarou: - A danada embarcou em Janeiro. O caso é que realmente se trata de uma cobra das mais venenosas que existe no Brasil, a Jararaca, e de acordo com os biólogos do projeto Bemar de Tarituba, dificilmente eu sairia ileso de um ataque da mesma, pois, a distancia é longa e demoraria muito tempo para chegar até Paraty pra ter um socorro de acordo. O melhor a fazer é tomar muito cuidado ao desembarcar na ilha, não colocar o bote em terra nem amarrado em árvores para assim evitar o embarque das mesmas (acredito que foi por ai que a “minha” chegou a bordo) e alertar o máximo de pessoas possível.

Nosso amigo Eduardo Schwery do Veleiro Regwell disse: - Alguma providência tem que ser tomada, e toda a cautela é pouca!

A família Planeta Água que já esteve na Ilha da Cotia em diversas oportunidades, pede a todos os navegadores que fundeiam e desembarcam no excelente abrigo que é a Ilha da Cotia que, fiquem alertas e tomem muito cuidado.

O X-Pa no Saco da Fazenda em Itajaí/SC. e churrascada na Ilha da Cotia

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Aniversário do Ricardo Amatucci

Ricardinho figura ímpar da vela de cruzeiro

Ricardinho é discípulo e fã do Janjão, ele mesmo assim se intitula. Ricardo Amatucci, é o que podemos chamar de um cara batuta, veja bem, nós escrevemos batuta e nem pense em rimar. Divertido e bonachão, esta sempre disposto a participar de farras etilicas e gastronomicas. Ricardinho, você, Diana e a Heleninha também tem um cantinho só de vocês em nossos corações. Feliz aniversário, comandante do Tangata Manu!

Fernando, Marta e Vitória

A foto foi roubada do blog do Tangata Manu

Aniversário do Janjão

Janjão, nascido João Calmon - Foto by Hélio do Maractu

Hoje nosso querido amigo "Janjão" esta de aniversário, nascido João Calmon, este grande velejador não demorou a arrumar espaço em nossos corações. Janjão, mais uma vez te desejamos: Muita saúde, muita saúde e,... Muita saúde.

Fernando, Marta e Vitória

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Homenagem ao Vail... Até breve amigo!

by Ricardo Amatucci

O Vail Mony nos deixou...!!!

Este era o nosso querido amigo Vail junto da esposa Helena.

Com pesar comunicamos o falecimento de nosso amigo e associado, Vail Mony. Nestes anos de convivência, pudemos desfrutar de sua amabilíssima companhia. Sua alegria, disponibilidade e a amizade estarão marcados para sempre em nossos corações. Aos familiares, e em especial à esposa Helena com quem tantas vezes pudemos compartilhar esses momentos de carinho, nosso abraço fraterno e a certeza que numa esfera superior, "nosso" Vail está amparado e feliz, sempre presente em nossas memórias e futuras velejadas. Vail, obrigado pelos momentos que passamos juntos. Sua passagem pelas nossas vidas deixou marcas profundas e belas.

ABVC

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

O churrasco dos "Broders"... No mar e em terra

No sentido horário os "broders" Vitória, Magda, Martina, Marta, Cleuza e Gigante, Tayná, Fernando, Ladislau e Jonas.

O ocorrido se assucedeu em Garopaba, o dia foi o 07 deste mesmo mês, um Sábado com um baita Nordestão, daqueles que deixa emaranhadas as melenas dos cabeludos e das cabeludas. Marta a "Almiranta", tratou de fazer o ajuntamento dos "broders". Ligou pra Cleuza do Gigante, e convocou a tripulação oficial do Entre Pólos, depois ligou pra Magda do Lalau (amigos e tripulas do Planeta Água) e lascou também a intimação pro churrasco. O Ladislau, quase todo mundo que acompanha nosso blog já conhece, se bem que agora o cara virou o Lalau do Kite, mas isto e outra história.

Quando acordei, me dei conta... Tava todo mundo lá em casa pro churrasco da "Almiranta"... O ajuntamento em questão, visava em primeiro lugar, o combinamento pra levar as filhas, Vitória, Tayná e Martina no tal Planeta Atlantida... Vixe! Em segundo lugar, beber, comer e contar estórias de velejador, não necessariamente nesta ordem.

A churrasqueira lá de casa não esfria nunca, isso mesmo!... De tanto "arrodear" na volta da dita, me tornei um quase churrasqueiro. Hoje me meto a tecer alguns comentários e até chego a algumas conclusões sobre esta arte. Na verdade, incluo o feito de assar um churrasco caseiro, entre uma das coisas mais delicadas e melindrosas deste mundo. E, ao mesmo tempo deveras, mui relaxante.

Isso, porque aqui na Republica Riograndense todo mundo entende de no mínimo duas coisas: ou é metido a técnico de futebol ou a fazer churrasco. Até tem aqueles que sabem, e tem também os outros... E é praticamente impossível, a gente ver alguém fazendo um churrasco e não dar pelo menos um palpite. O bom churrasqueiro sabe que, se aceitar o primeiro pitaco... Vai ter que aturar os chatos-pitaqueiros até o fim dos trabalhos.

A coisa já começa na hora de acender o fogo.

-Tu tens aquele coiso pra colocar embaixo, aquele que fica pegando fogo?

-Com a Zero Hora! Pega os classificados!

-O 2º Caderno, não!!!

-Se tu não abanar, não vai pegar. Vai por mim.

-Tu botou muito carvão. Vai abafar o fogo. Taí, eu não disse?

-O fogo tá muito alto. Joga água!

-Não te disse pra não jogar água ? Olha aí, apagou.

-Tu não abanou. Dá licença?

A churrasqueira tá que parece filial do inferno, um braseiro lindo que só vendo. Os "broders" já tão na segunda caipirinha, a mulherada tá la do outro lado. Se tem uma coisa que mulher não entende é de churrasco. Elas participam no máximo, com a salada e os gritos: amor, quando tiver ficando pronto avisa pra gente por a mesa.

Nesta hora a coisa fica feia mesmo, é uma chuva de palpites e pitacos:

-Se eu fosse tu, colocava o salsichão pra baixo.

-O que??? Tu vai fatiar a picanha? Que barbaridade!

-Olha aqui, sem querer ser chato, mas eu acho melhor tu colocar a gordura pro lado debaixo. Depois tu vira. E não vira mais.

-O problema do lombinho é que demora mais. Tem que ficar embaixo. Muita gordura, tchê.

-Tu tá vendo? Pinga a gordura e o fogo endoidece. Assim não vai dar. Joga água.

-Limão? Na costelinha?

-Tchê, aquela linguiça ali já não esta boa? Cadê o pãozinho com alho?

-Mas não fui eu quem ficou de comprar o pão. Marta! Não tem pão!!!

-Me dá licença? Posso virar o galeto? O que é isso que tu colocou aqui? Orégano? Mas tchê, tu ta loco!!!

O churrasqueiro ta pronto pra enfiar um espeto na barriga do chato-pitaqueiro, quando chega a gurizada:

-Já tem salsichão, pai?

-Já disse que eu chamo. Tu é surda?

É quando chega aquele "broder" retardatário, o Lalau do Kite e, antes de me cumprimentar...

-Esse fogo tá muito alto. Com licença. Fernando, se tem uma coisa que eu entendo é de churrasco. Deixa comigo! Quem é que tá fazendo caipirinha? Muito açúcar. Tá um melado isso aqui.

-Põe mais carvão, Gigante.

-Queimei o dedo!

-Sei não, eu, por mim, virava esta picanha. Vai ficar seca, tchê.

-Tu tens que comprar uma faca boa. Olha aí! Isso aqui tá estragando a carne.

-Marta, cadê a faca boa? Aquela que o teu pai me deu?

-Cuidado que tá quente, filha. Eu não te disse? Tu não me ouve...

E por aí vai, até escurecer... O fogo da churrasqueira se apagar e o nosso passar.

Tenho uma teoria psicanalítica... A de que quem faz churrasco, não precisa fazer terapia. Os grandes churrasqueiros e os outros, são todos pessoas muito bem resolvidas. E é verdade, pois colocam avental com uma feminilidade cativante. Ficam, dois ou três homenzarrões abraçados, olhando por horas e horas para o fogo ardente, brigando e discutindo como se fossem marido e mulher. Já notou? Já notou quando um queima o dedo, com que carinho é tratado pelos outros? Já vi barbudo chupar o dedo do outro ali, ao lado das brasas da amizade.

Se não existisse o churrasco caseiro, os homens seriam muito mais tristes, muito mais violentos. Fazer um churrasco, resolve todos os problemas da firma, do casamento e dos filhos. Os homens viram heróis de si mesmo.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Corrida de Pescadores em Garopaba / SC.

Disputas acirradas na Corrida de Pescadores, Garopaba / SC.

Dia 06 de Janeiro de 2011 - Manhã de Domingo nublado, a chuva vez por outra dava as caras, ingredientes para um domingo pra la de chato. Ledo engano, pelo menos em Garopaba o Domingo foi de muita movimentação a beira mar. Rolou a Corrida de Pescadores, a prova fez parte da Festa de Nossa Senhora dos Navegantes. Foram dois estilos, o de canoa e o de caíco. Na primeira parte ocorreram as baterias eliminatórias das canoas onde todas percorriam individualmente um percurso determinado pela organização do evento. O percurso foi maior do que o ano anterior e o tempo médio de cada canoa ficou em torno dos sete minutos e meio. No intervalo das baterias ocorreu a corrida de caicos. Todos partiram alinhados e fizeram o mesmo percurso das canoas. A chegada acontecia no ponto em frente a Praça 21 de Abril, local da festa, ali o navegador ao chegar à beira da praia deveria saltar da embarcação e bater o sino. A disputa foi acirrada e ficou mais emocionante ao final, Chorão que liderava mais próximo a costa viu o caico “Tainá” de seu adversário Tinho ultrapassá-lo e bater o sino em primeiro lugar. Por fim foi disputada a bateria final das canoas, que saíram do meio da praia alinhados, com chegada no canto da igreja, a vitória ficou com a embarcação do Siriú. Após o termino das provas ouve uma confraternização entre os participantes e a cerimônia de premiação.

Confira a classificação final nas duas categorias:

Canoas

  • 1º Lugar – Embarcação Gislaine da comunidade do Siriu – Troféu /Medalha
  • 2º Lugar – Embarcação Ana Paula da comunidade da Silveira – Troféu /Medalha
  • 2º Lugar – Embarcação Marilene da comunidade da Gamboa – Troféu /Medalha
  • 3º Lugar – Embarcação Larissa da comunidade do Centro – Troféu /Medalha
  • 4º Lugar – Embarcação Luciana da comunidade do Campeche – Troféu

Caicos

  • 1º Lugar – Tinho – Troféu /Medalha
  • 2º Lugar – Chorão – Troféu /Medalha
  • 3º Lugar – Murilo – Troféu /Medalha
  • 4º Lugar – Feijão – Troféu /Medalha
  • 5º Lugar – Naná – Troféu

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Ilha Grande, Angra dos Reis - RJ. - Imagens

Imagens da Ilha Grande, Angra dos Reis - RJ. - Clique nas imagens para ampliar.
Tayná (E) Veleiro Entre Pólos, Mariana (C) Passatempo e Vitória (D) Planeta Água no cockipit do Entre Pólos
Marta e Vitória, Coqueiro Verde, Saco do Céu.
Tayná e Vitória, Coqueiro Verde, Saco do Ceú.
Vitória, Coqueiro Verde, Saco do Ceú.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

BIG BROTHER BRASIL "A VERGONHA" - Off Topic

Uma das belas imagens de Luís Fernando Veríssimo

Aos nossos leitores, pedimos desculpas por postar esta cronica de Luís Fernando Veríssimo fora do tópico deste blog, mas tínhamos que fazer alguma coisa a respeito deste lixo chamado BBB... Acho que fizemos a nossa parte!

A Vergonha

Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço. A nona, décima, décima primeira (está indo longe) edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência. Dizem que Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB 10 é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assistir ver este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas, heteros… todos na mesma casa, a casa dos “heróis”, como são chamados por Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterosexuais. O BBB 10 é a realidade em busca do IBOPE. Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB 10. Ele prometeu um “zoológico humano divertido” . Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.

Se entendi corretamente as apresentações, são 15 os “animais” do “zoológico”: o judeu tarado, o gay afeminado, a dentista gostosa, o negro com suingue, a nerd tímida, a gostosa com bundão, a “não sou piranha mas não sou santa”, o modelo Mr. Maringá, a lésbica convicta, a DJ intelectual, o carioca marrento, o maquiador drag-queen e a PM que gosta de apanhar (essa é para acabar!!!). Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível. Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo. Eu gostaria de perguntar se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.

Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis? São esses nossos exemplos de heróis?

Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor e quase sempre são mal remunerados.. Heróis são milhares de brasileiros que sequer tem um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir, e conseguem sobreviver a isso todo santo dia.

Heróis são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.

Heróis são inúmeras pessoas, entidades sociais e beneficentes, ONGs, voluntários, igrejas e hospitais que se dedicam ao cuidado de carentes, doentes e necessitados (vamos lembrar de nossa eterna heroína Zilda Arns).

Heróis são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada meses atrás pela própria Rede Globo.

Um dos logos símbolos da decadência de nossos valores

O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral. São apenas pessoas que se prestam a comer, beber, tomar sol, fofocar, dormir e agir estupidamente para que, ao final do programa, o “escolhido” receba um milhão e meio de reais. E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a “entender o comportamento humano”. Ah, tenha dó!!!

Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão. Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social, moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros?

(Poderia ser feito mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores )

Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores. Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário

Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa…, ir ao cinema…, estudar… , ouvir boa música…, cuidar das flores e jardins… , telefonar para um amigo… , visitar os avós… , pescar…, brincar com as crianças… , namorar… ou simplesmente dormir. Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construído nossa sociedade.