domingo, 2 de maio de 2010

O Saco do Céu com Poluição Sonora não combina!

Que o Saco do Ceú é um lugar muito especial, disso todo mundo que navega pela baía da Ilha Grande sabe! Excelente abrigo de natureza exuberante, onde é possível passarmos momentos inesqueciveis a bordo de nossos barcos. Mas... Em nossa última passagem por lá no mês passado, depois de um dia maravilhoso, um jantarzinho e um filminho nos entregamos nos braços de Morpheu. Passava das 24:00h quando fomos acordados de forma ignorante por três lanchas que estavam amadrinhadas (a contra bordo uma da outra). Juntas pareciam a nave do filme Contatos Imediatos de 3° Grau, de tanta luz acesa, algumas estrobos. Fundearam entre uma dúzia de adormecidos e silenciosos barcos, a 30 metros do Planeta Água com um som absurdamente alto. Musica Sertaneja, Eletrônica, Bate-Estaca... E os "Ji'diotas" quebraram o encanto e a paz do lugar.
O casco do Planeta Água vibrava com o som, nosso salão branco, parecia um estúdio fotográfico refletindo as luzes estroboscópicas como se fossem flashes. Acordados eu e a Almiranta saímos para o cockpit para assistir a baderna. Bebidas, algazarra, dança, havia gente de todas as idades nas naus da zorra. Lancheiros nos tiram do sério por sua arrogância, irresponsabilidade, falta de educação, falta de consciência (inclusive ecológica) e solidariedade. São... Que me perdoem os bons e conscientes navegadores motorizados, que são minoria, mas existem... A "praga" do mar. Aliás, uma praga de terra, que de mar essa gente medíocre não tem nada; nem conhecimento, nem amor e muito menos respeito. Compram seus brinquedos barulhentos para compensar alguma deficiência emocional! Ou será física? Freud que explique!... E dane-se quem estiver na frente ou perto deles. Nem fundeados são capazes de se comportar educadamente (já que navegando nós velejadores sabemos bem do que são capazes...). Alguns carregam junto suas lanchas de bolso, o jet ski, outra maldição quando mal usado, fazendo todo aquele barulho e todas aquelas marolas no fundeadouro.
Perdoem-me pelo desabafo, mas creio que este assunto é de interesse de toda a comunidade náutica, e que este também chegue aos usuários de lanchas. A imagem deles está péssima junto aos outros navegadores e não é por preconceito, e sim por pós conceito.

31 comentários:

  1. Acho muito exagerado e comentário, tendo em vista que os usuários de lanchas de modo geral , não são desordeiros, em todas as classes a bom e mau desportistas.

    ResponderExcluir
  2. Lancheiros são sim desordeiros, barulhentos, desrespeitosos e beberrões.

    ResponderExcluir
  3. Prezado Fernando;já me ocorreu a mesma situação várias vezes na Ilha Grande. O problema é de cultura e acho que só irá mudar dentro de duas gerações. Tome como exemplo o ignorante "anônimo" que escreveu antes de meu comentário "a bom e maus desportistas";o sujeito não sabe sequer escrever de maneira correta o verbo HAVER!!E mais;desde qdo lancheiro é desportista??? Volta pra escola e te escapa, que essa ñ é tua praia BABACA!!!!Bons Ventos, Vinicius

    ResponderExcluir
  4. Realmente acho que os tais lancheiros desrespeitaram os navegadores que estavam fundeados em tal silencio.Etretanto, não podemos misturar todos no mesmo saco, devemos respeitar a opção de cada um na escolha no modo de navegar, seja por lancha, veleiro, barco ou outra modalidade qualquer. Não tenho lancha, navego em trawller a muitos anos, gosto muito de veleiros e tambem de lanchas não descrimono nenhum deles. Não seja arrogante e preconceituoso, algumas pessoas não tem educação, mas isso não depende da embarcação em que estão.

    ResponderExcluir
  5. Caros leitores e amigos da blogosfera, todos temos amigos que mudaram de opção... Trocaram lanchas por velerios ou veleiros por lanchas, destaco parte do texto acima ..."que me perdoem os bons e conscientes navegadores motorizados que são minoria, mas existem"... Este trecho tinha justamente a função de não generalizar, não colocar todos os lancheiros na mesma panela, e sim separar os poucos "mocinhos" dos bandidos. É claro que também existem velejadores mal educados, mas devido as limitaçõe de nossas embarcações (velocidade, capacidade de gerar e armazenar energia, entre outras...) estes tem um poder de "perturbação da ordem náutica" muito vezes menor. Em tempo, peço que todos que postaram seus comentários neste blog, sigam o exemplo do amigo Vinicius que se identificou. O ideal nestes casos polêmicos e assinarmos e logo abaixo colocarmos o nome de nossas embarcações. Sejamos educados no mar e na NET.
    Abraços e bons ventos a todos!
    Fernando, Marta e Vitória

    ResponderExcluir
  6. Este desrespeito com o próximo, é falta de educação mesmo, os caras são mal educados,e fim de papo,abraço joel.

    ResponderExcluir
  7. Gostaria de saber dos mais experientes marinheiros se essa falta de educação é privilégio tupiniquim ou lancheiros (ou navegadores de um modo geral) mal educados são uma constante no mundo todo?
    Parece-me coisa de país emergente que ainda não sabe educar seus filhos e respeitar os demais a sua volta.
    Felizmente, aqui na Lagoa dos Patos/RS a maioria esmagadora navega com muito respeito ao semelhante e a natureza.

    Abç e bons ventos!
    Boeira - TEXAS/CNT

    ResponderExcluir
  8. As regras estao sendo desrespeitadas em todos segmentos nauticos, faltam escolas credenciadas para fornecer um certificado de curso serio que a marinha aprove ,que na vela existem varias, mas na motonautica nao, é so estudar um pouco e tirar o arraes , que é muito facil por sinal, e ja deixa o cidadão apto a pilotar mesmo sem ter que mostrar que sabe.
    por isso muitos acidentes com lanchas e jet ski
    Leo - veleiro Enrolex bra911@hotmail.com
    www.prowind.com.br

    ResponderExcluir
  9. Prezado,

    Você que merecidamente e por opção passa talvez meses ancorado, desfrutando da paz de inúmeros lugares, poderia até ter um pouco mais de paciência e compreensão por aqueles que infelizmente, para eles, e felizmente, para você, só podem passar um ou dois dias por mês desfrutando do lazer, da forma que lhes parece boa.

    Se você é do mar sabe que noites mal dormidas são um fato da vida.

    Concordo que exitem limites e nas cidades até a lei do silêncio, mas se você quiser repetir o coforto de um condomínio no mar, com as regras, neuroses e stress, talvez esteja no lugar errado.

    ResponderExcluir
  10. Obrigado comandantes; Gonzaga, Boeira embarcação Texas do Clube Náutico Tapense, Leo embarcação Enrolex e infelizmente ao comandante "ânonimo" do comentário logo acima! Concordo com quase tudo que foi dito acima, mas não posso concordar com o último comentário do comandante anônimo... Caro "anônimo", com certeza não éramos nós que estávamos em lugar errado, mas sim os comandantes das lanchas em questão! Também sofremos com o problema "tempo" e, quando conseguimos sair para navegar queremos no minimo "PAZ" nos fundeios em que nos encontramos.
    Sua postagem, quase me levou a voltar para o divã de minha analista, pois, seria fato que eu é que estava em lugar errado ? ... E seria eu, que deveria ter mais paciência e compreensão ? Me poupe amigo "anônimo" !
    Mas não vai dar pra ter mais paciência do que eu tive, o simples fato de não ter tomado nenhuma atitude além da manifestação aqui posta, mostra que fui por demais paciente... Da próxima não sei do que sou capaz !!!

    Abraços e bons ventos!

    Fernando Maciel
    Capitão Amador (dos antigos) Rsrsrsrsrs...

    ResponderExcluir
  11. Prezado Fernando; do jeito que a coisa vai teremos que trocar de planeta ,pois neste que habitamos hoje não há mais lugar pra quem quer conviver em harmonia com a natureza. Desde quando "desfrutar do lazer, da forma que lhes parece boa" significa poluir sonoramente um santuário de vida marinha com área de manguezal e mata atlântica com milhares de animais, peixes, moluscos e aves assistindo e se estressando com um bando de "urbanóides" divertindo-se sem a menor compostura perante ao bioma inigualável e conservado da Iha Grande. O infeliz que deixou esse comentário poderia ficar de "boca calada" pois não sabe o que diz!! Aleluia!!!! Bons Ventos , Vinicius

    ResponderExcluir
  12. Endoso toda as suas palavras. Você está fundeado em alguma enseada ouvindo o canto dos pásaros, sentindo o cheiro de mata e o frescor do vento marinho e de repente ... lá vem os "mosquitos" , não os das picadas mas os jet skis que nós chamamos assim pela semelhança com zumbido dos primeiros, exibindo as suas acrobacias e perturbando a placidez do espelho d´água ... arrrghh ! irritante mesmo.

    ResponderExcluir
  13. Prezado,

    Meu comentário não tinha a intenção de dizer que o Sr. estava errado em querer paz e silêncio, e que os participantes da festa estavam certos. Apenas que temos que saber aceitar quando nem tudo vai de acordo com nosso gosto. Vou um dia encontrá-lo navegando e me identificarei para uma discussão amigável sobre como o mundo das regras e convenções quer a todo custo impedir que sejamos livres, e nós mesmo não podemos querer policiar todos os incorretos sob pena de destruirmos nossa própria paz.

    Boas navegadas!

    ResponderExcluir
  14. O relato do ocorrido gerou manifestações de varios enfoques,e tenho a absoluta convicção que colaborou para uma reflexão,coisa que não aconteceria caso fosse omitido o incidente.Como velejador,amigo de proprietários de embarcaçoes motorizadas educados e aptos para navegar,fico muito agradecido a turma do Planeta Aqua.
    Arilson,Veleiro Doce Acalanto.

    ResponderExcluir
  15. Valeu Vinicius, Arilson do Veleiro Doce Acalanto e comandantes "anônimos"!... Arilson, a ideia era justamente esta, levantar o assunto para discussão e fazer todos os comandantes repensarem suas atitudes. Será que estamos agindo de forma correta no mar ou mesmo em nossos clubes ou marinas ? Caro amigo "anônimo", estarei a disposição o dia em que nos encontrarmos no mar, você será muito bem vindo a bordo do Planeta Água para nos conhecermos e dirimirmos nossas dúvidas.
    Obrigado a todos pelos comentários aqui postados!
    Abraços,
    Fernando

    ResponderExcluir
  16. Caro Fernando, anonimos,...
    Inicialmente temos que admitir que o saco do ceu, nao eh propriamente um lugar para querer silencio e tranquilidade, tendo em vista, que eh sabido ser um dos lugares mais movimentados e badalados da Baia da Ilha Grande. Concordo tb com alguns que ocasionalmente as festas a bordo podem ser incomodas, INDEPENDENDE do tipo de embarcacao, entretanto temos que respeitar suas individualidades e nao tentar colocar-nos como guardiao dos bons costumes, alias pelo post, nao havia nada de mais a bordo das lanchas somente uma boa diversao. Silencio eh bom? Sim Festa eh bom? Sim tambem. Para a maioria, barcos (em geral)sao uma alternativa para a vida estressante de suas rotinas nas cidades, e a forma de relaxar varia de dormir ate cair duro de tanta birita...Se quiser silencio va para uma ilhota isolada qualquer, se quiser movimento e agito va para o Saco do Ceu ou o a Praia do Dentista. Mas nao posso concordar de modo nenhum com as dicotomias precoceituosas em relacao a "lancheiros", veleiros, jets...PRE conceituando cidadaos em funcao de seus "brinquedos". Afinal um Delta 36 eh um brinquedao.
    Uma coisa interessante eh que todos os comentaristas de modo geral foram enfaticos mas educados nas suas opinioes, com excecao de um Sr, que por um erro de portugues, se arvorando em defensor da lingua portuguesa escrita com educacao concorrente ao seu conhecimento chamou o colega comentarista de BABACA...que coisa feia, logo aqui que estamos discutindo educacao??!!
    E finalmente,caro Fernando, por favor, assinar um post como "capitao amador dos antigos"???? Com esta afirmacao esta PRE conceituando os novos.
    Ahh.. vc sabia que esta habilitacao eh de uma inutilidade a toda a prova? Nao he reconhecida por nenhuma companhia de seguro internacional por exemplo e 99% dos navegadores do mundo nao tem uma similar pq nao eh exigida? Somente no pais da burocracia e da marinha que demora um ano para entregar os documentos de um barco?

    T+

    ResponderExcluir
  17. Cmte.

    Contra desrespeito ao próximo não tem jeito. Ou melhor, tem: leventar ferros e procurar outro ancoradouro. Essa gente não vale nada!

    Bons ventos
    André

    ResponderExcluir
  18. Prezado T+; chamei o colega comentarista de BABACA porque pensei tratar-se de um lancheiro que não enxerga a própria "mancada", entende?Daqueles que"caem duros de tanta birita" como vc falou ,e no dia seguinte arrancam suas máquinas potentes em alta velocidade transferindo seu stress para manobras que resultam em óbitos ao longo de nosso litoral.Se fui rude é porque já estou exausto de ver tanta imprudência e péssima educação por parte de 98%(+ou-) de lancheiros, jetskizeiros e outros tantos zeiiiros. Quem sabe uma legislação menos branda e penalidades inafiançáveis pudessem melhor balisar o comportamento extravagante que V.Sa. defende com tanto ardor!Vide comentário do Leo do veleiro Enrolex(que nome hem!!) onde se coloca o pouquíssimo ou quase nada aprendizado desse pessoal...Menos T+, por favor menos......Vinicius

    ResponderExcluir
  19. Comandantes André, T+ e Vinicius,
    Em meio aos inúmeros comentários aqui postados e até alguns telefonemas recebidos... Tenho a dizer que não admito ter que trocar de planeta ou mesmo levantar ferro e ir para outro lugar, como me foi sugerido! Destaco a seguir trecho do comentário do comandante T+ ..."temos que admitir que o Saco do Céu, não é propriamente um lugar para querer silêncio e tranquilidade"... Amigos onde vamos parar com este tipo de atitude... Me atrevo a dizer que este é o mal do povo brasileiro, que a tudo assiste sem nenhum tipo de reação! Sei que todos tem direito a se divertir, extravasar o stress da semana, mas nosso direito e liberdade terminam onde começa o direito e a liberdade do nosso vizinho.
    T+ sei sim que nossas habilitações não valem nada fora de nossas fronteiras, e quando assino Capitão Amador (dos antigos)... Quero na verdade dizer: Um velho capitão, que já viu alguma coisa...
    De maneira alguma tive a intenção de menosprezar os novos capitães.
    Abraços a todos!
    Fernando (um velho capitão)

    ResponderExcluir
  20. Bom, vamos la.
    Caro Vinicius e Fernando
    Entendo, apesar de nao concordar com, seu posicionamento no que se refere aos festeiros, no caso de seu comentario, especificamente cidadaos aquaticos motorizados. Mas convenhamos, vcs assim como eu, sabem que muitos acidentes com veleiros somente deixam de acontecer, tendo em vista a baixa velocidade destes…quantos velejadores bebem alem da conta em seus veleiros e saem a navegar por ai apos inocentes churrascos na popa? Isso de forma generica, so comento para demonstrar que os lancheiros nao sao os unicos que bebem a bordo. Sendo corretos, nao podemos eximir os veleiros, em funcao de sua baixa velocidade, pois tb sao veiculos e se enquadram legalmente como as lanchas e outros para a legislacao penal em caso de acidente. Quanto as penalidades pelo que recordo sao bastante severas, podendo chegar a homicidio doloso em alguns casos.
    Sim, defendo ardorosamente a liberdade de expressao e movimento.
    Caro Vinicius...o que eh exatamente extravagante para vc? Me permito usar a expressao de intimidade ja que estamos em um debate despretencioso. Poderiamos estar em um cockpit conversando sobre o mesmo assunto. Vejo como uma questao social, o que pode ser extravagante para vc, pode nao ser para outros por exemplo. Qual o paradigma social que usaremos? O muculmano, americano, europeu, brasileiro, asiatico? Podemos usar o “bom senso” (obviamente tambem um paradigma social, afinal amputar a mao de um ladrao nos dias de hoje eh bom senso publico em alguns paises muculmanos). Por isso defendi os “lancheiros” por ver aquele local como um local apropriado para uma festa, local sabidamente... de amplo conhecimento publico ser um local onde as pessoas se reunem para badalar como me referi anteriormente. Entretanto, se estivesse na ilha da Cotia, nao gostaria de uma festa a 30 metros de distancia. Tudo eh uma questao de propriedade de ser proprio ou nao, ali vejo um local apropriado, da mesma forma que as proximidades de barzinhos nas grandes cidades sao locais barulhentos.
    Quanto a reacao do povo brasileiro caro Fernando, que tudo assistem sem uma reacao. Qual seria a reacao? Atirar um para-quedas nas lanchas??? Chamar a policia? Qual o amparo legal? Fazer esse desabafo publico? Ok, eh um direito seu que defendo ardorosamente, o direito de expressao, mas existem opinioes contrarias. Quando colocamos ao publico assunto tao polemico e com tanta veemencia eh de se esperar alguma opinioes contrarias.

    ResponderExcluir
  21. comentario dividido pelo tamanho..continuacao
    comentario dividido pelo tamanho...continuacao.

    O velho dito popular que o “direito de um termina quanto comeca o de outro” eh ambiguo obviamente. O fato de alguem nao ter o direito de fazer alguma coisa em funcao de outrem, limita o seu direito pessoal de faze-lo, claro (estamos falando de fatos legais por favor). ...nesse caso voltamos aos paradigmas sociais.....pq vc acha que seu direito comecou em relacao aos lancheiros??? Ora, pelo simples fato de vc achar que pode dormir e eles nao podem fazer festa, contrariamente a alegre galera motorizada, pelo lado deles, naquele local sabidamente badalado..bla..bla., acreditam que tem o direito de fazer a festa deles, nesse caso aflora o direito deles. Nossa ideia de direito e justica esta regulado por dogmas sociais do que achamos justo, por NOSSA moralidade, educacao e sociedade, a mesma sociedade brasileira vc de certa forma criticou...afinal fazemos parte delas. Ou teremos arrogancia de dizer que por termos condicoes economicas melhores que a maioria deste sofrido povo, pensar que nao absorvemos esse parametros sociais??
    Vc pode nao ter gostado de ser acordado no meio da madrugada pela zoeira da festa do pessoal, mas..bom...talvez sim,,,tenha ancorado no lugar errado para descansar em silencio. Um local com tres ou quatro restaurantes reune pessoas ansiosas por divercao e onde tem aglomeramento de pessoas (de qualquer nacionalidade e qualquer embarcacao) acaba tendo algum barulho, nao tem jeito eh inerente ao ser humano. Bom, talvez mosteiros tenham alguma paz...
    Nos caros amigos, privilegiados sem duvida, navegantes de todos os cascos, temos a obrigacao de manter a integridade da uniao entre os navegantes, nao temos o direito de julgar ou execrar determinadas castas.
    Quanto a habilitacao..claro, peco desculpas publicamente, deveria ter imaginado que nao era sua intencao menosprezar os (novos) capitaes amadores. Blogs sao locais perigosos...
    Ahh....eu tenho um VELEIRO nunca tive lancha na vida
    Finalmente T+ nao eh pseudonimo, significa...ate mais....T+...hehehhe
    Ass....um velho navegador como vc, so que tb sou um navegador velho....

    ResponderExcluir
  22. Prezado T+; estou vendo que apesar de nossas sintonias não encontrarem a mesma frequência você é gente boa , mas um dia vai recordar desta nossa divertida discussão. Você não se entrega, neh?Mas tudo bem ,quem sabe na hora que acontecer com vc o que ocorre seguidamente conosco vai dar o braço a torcer e nos comunica então!!! De qualquer maneira foi salutar a discussão e serviu pra todos se antenarem desse problema antigo ( me lembro que ouví meu pai falar no assunto nos anos 60). Vou navegar e tenho que me "azular". Grande Abraço

    ResponderExcluir
  23. Caro T+,
    Agora você já é conhecido aqui por este pseudonimo, como diz a garotada eu "paguei o mico" com o seu até mais, mas você disse muito bem: "blogs são locais perigosos"... Você não tem que pedir desculpas de nada, estamos aqui defendendo nossas opniões, expondo nossos pontos de vista e ideias. Comandante sua argumentação esta um primor, mas da mesma forma entendo sua posição sem contudo concordar com a mesma! Concordo e é fato que também existem velejadores beberrões e fanfarrões, também já foi dito aqui que devido as limitações dos veleiros no que diz respeito a geração e armazenagem de energia, limita e impede de certa forma que estes causem perturbação maior... No caso dos comandantes beberrões e fanfarrões é claro. A baixa velocidade desenvolvida pelos veleiros é sim atenuante relevante no caso de acidentes, tanto que não ouvimos e nem lemos nada na midia com relação a acidentes envolvendo veleiros. Concordo com a liberdade de expressão e movimento, mas defendo mesmo a boa educação, respeito e o bom senso (paradgima social ou não)! Entendam todos que não sou contra festas e diversão, abomino sim o fato daquelas embarcações que não estavam não Saco do Ceú, ali terem fundeado já em plena "balada" quando passavam das 24:00h (como também já disse aqui em meio ao silêncio total de várias embarcações).
    Nunca havia passado por situação deste tipo no Saco do Ceú... A Ilha da Cotia em Paraty também é um maravilhoso abrigo, e nas vezes em que lá fiquei as "festas" não forem além do som de um violãozinho que logo deu lugar a um sax. Acho o povo brasileiro e aqui me incluo, uma gente muita passiva... Nossos governantes fazem e desfazem e fica tudo por isso mesmo... Assim como eu no Saco do Céu, assistem a tudo sem reação, quando muito desabafam em texto ou em conversas em um pequeno grupo de amigos. Opniões contrarias são muito bem vindas, não fossem elas, este debate já estaria encerrado. O dito popular " o direito de um termina onde começa o do outro "... Todos temos o direito de fazer quase tudo, quase pois, devemos nos "nortear" na boa educação; na coerencia; no respeito ao próximo e acima de tudo no velho bom senso, quando tomarmos estes cuidados com certeza seremos pessoas melhores, dentro e fora d'agua. Meu direito começou em relação aos lancheiros quando a eles faltou tudo o que acabei de citar acima. Dogma ou não, acho que eles tem todo o direito do mundo em fazer a festa, contanto que não interfiram no direito de outras 50 ou 60 pessoas - novamente o bom senso ! Critiquei sim este povo brasileiro que a tudo assiste sem reação, e mais uma vez digo, faço parte deste povo que é feito de palhaço por estes sangue-sugas de terno e gravata... Ainda acredito naqueles lancheiros... Sinceramente acho que um dia se tornaram verdadeiros comandantes...

    Abraços

    Fernando

    ResponderExcluir
  24. Pessoal,

    Voltei! Vizinho mala e barulhento existe em todo lugar. Diplomacia ñ adianta. Nestas horas a "malandragem" é que conta. Já que gostam de luzes, quem sabe um ou mais faroletes bem potentes focando os folgados façam eles puxarem o carro rapidinho(neste caso, a lancha). Não vão poder se queixar de invasão. Experimentem!

    Cmte. André(Mestre-Amador)
    O'Day 12 (ainda chego lá!!!)

    ResponderExcluir
  25. Caro André,
    Confesso, não tinha pensado nisso!
    Na próxima vou tentar, quem sabe pode dar certo!
    Abraços
    Fernando

    ResponderExcluir
  26. Infelizmente o caso em tela não foi exclusividade do Planeta àgua e nem é novidade. Aconteceu a mesma coisa comigo há uns 15 anos atrás, no mesmo lugar, nas mesmas circustâncias...Só que eu, literalmente, gritei, e fui acompanhado por tripulantes igualmente indignados de mais um ou dois veleiros dentre os talvez oito ou dez alí fundeados. Custou, mas entre uma música estridente e outra o pessoal da lancha deve ter nos ouvido e resolveu ir embora. Impetuoso nos meus vinte e poucos anos e absolutamente transtornado pelo que considerei uma ofensa absurda e uma falta de respeito à natureza exuberante do local e aos outros fundeados, só não peguei o bote com o arbalete na mão pq a minha esposa à época me impediu. Enfim, um aborrecimento imenso por causa de um idiota que deve pensar como o Sr. Anônimo aí em cima, que fala de pretensos "direitos". Direitos de quê? De perturbar quem está dormindo tranquilamente? De fazer daquele santuário uma boite? De obrigar - pq é disso que se trata - a ouvir a altos brados o que não se quer? Direito de livremente manifestar sua falta de educação - inclusive ambiental - de cultura, de respeito pelo próximo? Direito de exercer sua boçalidade?De onde esse senhor, que aparentemente se acha tão equilibrado e que fala de paradigmas, tira essas idéias?
    Sou da seguinte opinião: Se não se tem educação e postura para se usar ou usufruir de algo que é público, que não lhe seja permitido usar. Isso vale para praias, estádios, transportes públicos em geral, praças, etc; É uma questão, acima de tudo, de respeito com o próximo, respeito esse que ou vem de casa ou terá que vir pela via legal.
    Fico pasmo com essa inversão de valores, onde quem está correto é cada vez mais oprimido pelos pretensos donos de novos e duvidosos direitos. Durma-se (literalmente) com um barulho desses...direito de fazer balada no Saco do Céu!!! A continuar assim, logo lhe mudam o nome para Saco do Inferno!

    Marcio Cibreiros
    Veleiro OAOA

    ResponderExcluir
  27. Ótimo Comandante Marcio! Seu comentário esta simplesmente ótimo... Antes de prosseguir, peço a você desculpas pela demora na resposta, estavamos mais uma vez no Saco "ainda" do Céu, mas desta vez numa "PAZ" divina. Ficamos ali 05 noites, durante o dia...Ora caminhavamos na trilha em direção ao Abraão, ou em direção a Freguesia de Santana. Foram dias e noites maravilhosos, onde aproveitamos para conhecer mais o lugar e sua gente simpática. Felizmente ainda podemos nos deliciar com a tranquilidade do Saco do Céu, contemplar as estrelas refletidas em suas placidas águas, namorar ouvindo "apenas" os sons da natureza exuberante daquele lugar. Se deixarmos de ser cidadões que tudo aceitam, não haverá esta inversão absurda de valores, nem o Saco do Céu vai virar Saco do Inferno. Obrigado Marcio e bons ventos para você e muita água abaixo da quilha do OAOA!

    ResponderExcluir
  28. Caro Marcio...
    Tudo eh uma questao de interpretacao. Nao entendo pq Vsa, se acha no Direito de pensar que os SEUS valores sao os corretos...e suas bocalidades sao aceitaveis e a de outros viventes nao o sao...
    So para arrematar...tiro minhas ideias sobre direitos de alguns dos seguintes sujeitos abaixo listados, pobres mortais pensadores que inspiraram toda a sociedade atual...

    Karl Larenz,Savigny, Jhering, Hans Kelsen, Gustav Radbruch, Evgeny Pachukanis, Carl Schmitt, Friedrich Müller, Ronald Dworkin, Klaus Günther, Norberto Bobbio, John Finnis, Robert Alexy, Miguel Reale, Platao, Aristoteles...

    Ja ouviu falar em algum deles??? Ja os leu?? Se sim talvez lhe falte interpretacao...se nao...aconselho uma breve leitura...cultura sempre eh aconselhavel.

    T+

    ResponderExcluir
  29. Prezado T+,
    Bom ter você aqui novamente, com seus comentários inteligentissimos, sempre nos faz pensar e refletir antes de nos aprofundarmos em nossas criticas. Admiro muito as pessoas que tem intimidade com as obras de nossos grandes filósofos e pensadores. Se hoje entedemos alguma coisa do mundo e da humanidade devemos isso a estes homens e mulheres pensadores.
    Saúde e Paz!

    ResponderExcluir
  30. Prezado Anônimo,

    Sequer costumo responder à pessoas que se acovardam atrás de um pseudônimo e que não tem a dignidade de debater de rosto ao vento, mas vou abrir uma exceção aqui já que, se não por essa falha, nutro especial respeito às pessoas letradas como Vsa, que parece fazer questão de deixar isso bem claro.
    Apesar de não lhe interessar minha formação, o que faço ou o que leio (embora seja provavelmente bastante similar à sua), limito-me a informar que sei o bastante sobre urbanidade, educação e bom senso para nortear minhas atitudes. Ora, não é preciso ler Aristóteles, Savigny ou Müller para se ter o mínimo de base para julgar se uma atitude é ou não correta - e no caso vivenciado por mim e pelo Planeta Água, fico pasmo se persistem dúvidas sobre quem estava perturbando ou desrespeitando quem alí! Ou será que a "tertúlia flácida objetivando direcionar a rês aos braços de Morpheu" - a popular conversa para boi dormir - de todos os sábios citados conseguiria convencer-nos de que errados estavam os veleiros silenciosamente ancorados para passar a noite, os habitantes das praias locais em seu sono e a natureza em se manterem ordeiramente calados e contemplativos??? Ora, faça-me Vsa. o favor de reler seus livros - aliás, a Wikipédia está aí para isso também - e compreendê-los não à luz de conveniências distorcidas, mas à luz do bom senso. Recomendo-lhe inclusive a opção, como eu faço, de não concordar com parte ou todo do que escreveram, pois se o mundo está em crise moral hoje, seguramente é por que muitas idéias daqueles senhores, embora reconhecidos como gênios, estavam equivocadas. Sábio é quem sabe avaliar e reconhecer isso, por que livro algum vai tornar-nos melhores, mas sim mais aptos a pensar por nós mesmos.

    Finalmente, não em tom de conselho mas sim de exercício, tente imaginar a situação pela qual eu e o Planeta Àgua passamos e tire suas conclusões. Se ainda assim achar que barulho na fibra dos outros é refresco, só posso lamentar nossa diametral e irreconciliável diferença.

    Um cordial abraço

    Marcio
    OaOa

    ResponderExcluir
  31. Marcio e demais comandantes que participam desta discussão, outra estupidez ameaça o nosso querido Saco do Céu.Um crime ambiental desprezível esta acontecendo naquele paraíso e as autoridades "competentes" não estão conseguindo impedir. Postei a pouco matéria sobre esta barbarie.

    Abraços e bons ventos a todos!

    ResponderExcluir