quinta-feira, 23 de julho de 2009

Mais amigos do Planeta Água.

João Carlos Cirello (foto ao lado), é amigo de amigos do Planeta Água, logo, é também amigo do Planeta Água. Carlos nos enviou em Março deste ano, algumas fotos de uma velejada com amigos em comum... É muito bom rever imagens dos comandantes Emílio Russell e Carlos Russell (pai e filho) e do saudoso Mauricio Castro (idealizador da REFENO), no leme, Ricardo Barioni todos a bordo do veleiro "Jangadeiro" do comandante Emílio. Eu e a almiranta tivemos o privilégio de dormir a bordo do "Jangadeiro" nas noites que antecederam a XXª REFENO - 2008.

Abraços e bons ventos a estes amigos lá do Cabanga, lá do Recife.

Velejada a bordo do "Jangadeiro" em Itapuz - PE.

  • ----- Original Message -----
  • From: JOÃO CARLOS CIRELLO
  • To: Planeta agua
  • Sent: Sunday, August 09, 2009 11:08 AM
  • Subject: RE: Veleiro Planeta Água : Mais amigos do Planeta Água.

Caro fernando, fiquei sensibilizado pela homenagem que vc prestou à tripulação do Jangadeiro no seu Blog, principalmente ao nosso querido amigo Maurício castro que sabia unir um excelente bom humor ao dinamismo realizador de tantos eventos como a criação da REFENO cuja execução inicial em 1987 e nos anos seguintes nos privilegiou a mim e Emilio Russel de sermos historicamente os parceiros dele na organização. Muito obrigado, JC Cirello.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Adote um post e deixe seu comentário...

Meu capitão e eu vamos pilhar toda a sua cerveja (só pra começar).

Prestem atenção em nossa primeira bandeira.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

E o vento... Roncou muito forte na Ilhabela.

Comandantes não pouparam "PQPs" depois da passagem da "pauleira".

Informações de amigos residentes em Ilhabela, nos chegam contando, sobre a força de ventos que atingiram impressionantes 60 nós, foi na madrugada de sábado 11/07 para domingo 12/07, a "pauleira" deixou um rastro de destruição na ilha.

Veleiros e lanchas, soltaram-se de suas poitas, garraram sua âncoras e ou foram parar na praia ou até foram ao fundo. No Yacht Club de Ilhabela, o caos foi enorme, sem luz nos píers e sem rádio alguns barcos acabaram com popas e costados danificados de tanto bater nos píers flutuantes.

É amigos, alguma coisa mudou e muito em nosso clima... Vamos ficar bem atentos!!!

No Saco da Capela, Pindá Iate Clube e no YCI os estragos ficaram amostra.

Fontes e Fotos

Grupo ABVC
Alan (Vel Meltemi)
Eduardo Schwery (Vel Regwell)
Glauco Caldas (Vel Levante)
Hill (Vel H2Oia)
Marcelo Augusto Balbo (Vel Thalassa II)
Mauricio (Vel Alphorria)
Rogério (Vel Gameio)

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Adolescente americano da a volta ao mundo em 13 meses.

Zac Sunderland 17 anos de idade.

LOS ANGELES, EUA, 16 Jul 2009 (AFP) - Um adolescente da Califórnia (oeste), Zac Sunderland, completou nesta quinta-feira a volta ao mundo que realizou sozinho a bordo de um veleiro, tornando-se um dos mais jovens a empreender esta façanha após 13 meses viajando.

"Foram 13 meses de loucura e, claro, é impressionante finalmente ter chegado aqui", disse um tímido Sunderland, afirmando que agora planeja escrever um livro contando suas aventuras e que gostaria de subir o Everest.

O jovem, que completou 17 anos no dia 29 de novembro, quando passava pelo Cabo da Boa Esperança, no extremo sul da África, disse esperar que sua travessia inspire muitos jovens e derrube alguns preconceitos dos adultos em relação aos adolescentes.

A sociedade coloca os jovens que têm entre 15 e 18 anos dentro de uma caixa, na qual ninguém espera muito deles. Tendem a pensar que só precisam ir ao colégio e jogar futebol, mas isso não é tudo, sabem?", declarou.

"Mas há muito mais potencial no que esta gente pode fazer com a motivação e a ambição corretas na vida", acrescentou.

Zac Sunderland atracou nesta quinta-feira no porto de Marina del Rey, oeste de Los Angeles, de onde havia zarpado no dia 14 de junho de 2008 quando tinha 16 anos.

Veja mais em: http://www.sailzac.com/

video

Zac Sunderland: An Introduction

terça-feira, 14 de julho de 2009

Twitter do Planeta Água

Entramos na era do twitter, pra falar a verdade não sei bem o que é isso... Mas, vou me acostumando com estas novidades (bem devagar é claro). Lembro, que até bem pouco tempo o computador me dava surras diárias, o Hélio do Maracatu um dia com cara de perplexidade me perguntou: Mas tu é analfabeto digital ?

Passado algum tempo, acho que fiz alguns progressos na área digital. Hoje, eu diria ao Hélio que já fui alfabetizado... Digitalmente falando.

Localização do twitter na página... Quase no final da barra lateral direita ou de BE.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Veleiro Britânico Encalha na França.

Surpreendido pela Maré...Será?

Segunda-feira, 06 de Julho de 2009. Veleiro Britânico fica encravado nas rochas em Saint-Quay-Portrieux, oeste da França, após ser surpreendido pela maré vazante de grande amplitude. As duas pessoas que estavam a bordo foram resgatadas por pescadores.

Saint-Quay-Portrieux, França.

Colaboração: Bêne (Veleiro Mangalarga) Guarujá, SP.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Veleiro Travessura - Fast 41' Charter em Ilha Bela e Baía da Ilha Grande

O Travessura, de Sérgio, Jonas e Carol pronto para charter.

Nosso queridos amigos, comandante Sérgio, Jonas e Carol, tripulação do veleiro "Fandango", juntos eles navegaram a costa brasileira. O fruto desta aventura foi a belo livro "O Melhor Ano de Nossas Vidas". Agora, eles nos trazem novidades... Estão convidando a todos para navegar no veleiro Travessura um confortável Fast 41'.

Sérgio manda o seguinte recado:

Venham velejar no Travessura - Fast 410: ótimo veleiro de 41 pés, com o qual estou fazendo charteres por Ilhabela, Ubatuba (mínimo de dois dias), Baía da Ilha Grande e Paraty, Angra e Ilha Grande (mínimo de 4 dias). Day-charteres para até 8 pessoas e pernoites até 6 pessoas. A tripulação somos nós!

Detalhes do interior do Travessura.

Veja mais sobre o Travessura em http://www.tresnomundo.com.br/PaginaTravessura.htm

Contatos: Sérgio, tel: (12) 9758-3844 sergio@tresnomundo.com.br www.tresnomundo.com.br

terça-feira, 7 de julho de 2009

O primeiro barco a gente nunca esquece...

O 1º Planeta Água um Micro 19', na foto a fonte original do nome já havia sido alterada.
Foto Ademir "Gigante" de Miranda (Veleiro Entre Pólos) clicada em Maceió, AL.

Os meios que a vida tem para nos ensinar certas coisas são no mínimo curiosos... Em meados de 1996, eu e minha família fomos iniciados no nobre esporte da vela. Nobre sim!... Pois, a vela surgiu no século XVIII entre reis e príncipes, e até os dias de hoje descendentes dos criadores desta cativante arte estão entre nós.

Marcelo Lopes, mais conhecido como "professor", foi quem nos mostrou como dar os primeiros passos, ou melhor, "bordos"... Nas turvas águas do Rio Guaíba que banha Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, último estado ao sul do Brasil. Eu "metido¹", sonhava com um barco grande e confortável, onde navegaria com a família através de todos os mares da terra. Não demorei a acordar deste sonho, a oferta e os valores dos barcos com os quais eu fantasiava eram pra lá de proibitivos, não cabiam no meu pequeno bolso.

Nesta mesma época, mudamos para Garopaba em Santa Catarina. Foi lá que conheci Dom Alberto, capitão reformado da Marinha Argentina. Velejador, que em mais de uma oportunidade, navegou de Buenos Aires ao Rio de Janeiro. Foram varios os almoços e jantares em que trocamos ideias sobre barcos, eu é claro, quase sempre na condição de ouvinte e aprendiz...

Sabedor de "mi suenõs", Dom Alberto num daqueles encontros me disse, (mais ou menos isso): - Dom Fernando, si usted no comprar un barco pequeño pronto y a no navegar, no va nunca a comprar el barco (se você não comprar um barco pequeno logo, não vai comprar barco nunca).

O que Dom Alberto disse naquele dia, foi determinante para nossa história. Na mesma semana voltei a Porto Alegre e comprei o primeiro Planeta Água, um Micro 19'.


Marta e Vitória a bordo do 1º Planeta Água no Iate Clube Guaíba, Porto Alegtre, RS.
¹Aquele que pensa que pode...

sábado, 4 de julho de 2009

Espaço da Vitória - Cruzeiro Costa Sul 2009 - XXI - O Fim

O Planeta Água descansando na sede central do ICSC Florianópolis, SC.

04.05.09 - Garopaba, SC. Que noite!... Depois de 30 dias, dormir novamente na minha caminha, foi tudo de bom. Mas, ainda tínhamos uma viagem para fazer até Floripa, é vamos voltar a sede central do ICSC mas, primeiro iríamos até meu dentista para revisão, depois seguiríamos para o clube para pegar o restante das coisas do barco e claro.... A festa de encerramento do 2º CCS.

A família Planeta Água em Floripa.

Almoçamos no restaurante do ICSC, e como já era esperado, encontramos parte do pessoal por lá, muitos haviam saído para conhecer Florianópolis. Eu logo encontrei o Jonas e a Heleninha, e a diversão da tarde foi brincar com nossos veleirinhos na piscina do clube. A almiranta e o capitão, foram terminar de recolher as coisas do barco, o que resultou num carro "lotadérrimo", quase não tinha espaço para nós.

Ponte Hercílio Luz, cartão postal de Florianópolis - SC.

Terminada a função, fomos todos para o banho, estava chegando a hora de se "produzir" para a festa. Todos prontos, subimos para o restaurante. Não demorou para o "falador" oficial do CCS, Ricardo Amatucci, dar início aos "falatórios", e depois de algum blá, blá, blá... Entregou uma placa de agradecimento e homenagem ao Comodoro do ICSC Sr. Inácio Vandresen. Este gesto havia se tornado rotina para a turma, em todas as escalas que o CCS fez, a comodoria do cruzeiro ofereceu uma placa aos comodoros e representantes dos clubes e marinas, marcando assim nossa passagem.

O meninos no encerramento do 2º CCS.

O Jantar... Como entrada, foram servidas ostras gratinadas (à vontade), uma delícia, depois serviram risoto de frutos do mar e salada, eu e minha mãe "almiranta" saboreamos os pratos, já meu pai o "capitão"... Ó coitado! Comeu apenas salada. O Luiz do veleiro "Bruxo" e o filho Binho nos fizeram companhia no jantar. O pessoal agitou, teve sorteio, fotos, mais fotos, brincadeira com o Janjão e infelizmente as despedidas.

As meninas no encerramento do 2º CCS.

O resultado deste cruzeiro foi uma soma de coisas boas e positivas para mim, entre elas, posso destacar: o desafio vencido, de conviver em harmonia a bordo de um veleiro com menos de 10 metros de comprimento, ajudar meu pai aprendendo muito sobre o barco e navegação, a divisão de tarefas, o prazer de estar em vários lugares diferentes levando nossa casa (tipo caramujo), e por fim, os amigos que fizemos e esperamos reencontrar em breve nos mares do mundo.

Beijo à todos e obrigada pela paciência de aguardarem o desfecho do cruzeiro.

Até o próximo...

Vitória

Vitória a "escriba" do Planeta Água em Florianópolis - SC.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Espaço da Vitória - Cruzeiro Costa Sul 2009 - XX

03.05.09 - Nossa! Já estávamos chegando ao final do cruzeiro, a Sede Oceânica de Jurerê do ICSC é a última escala antes de nosso destino final, a Sede Central do ICSC na cidade de Florianópolis - SC. Pois bem... Acordamos e mais uma vez organizamos as mochilas e fomos para terra tomar café, nossa saída para a sede, estava prevista para a tarde. O dia estava ótimo, minha mãe até pegou um solzinho na praia. Estavam todos ali pelo restaurante, uns já fazendo reservas para o retorno de avião, outros combinando uma caminhada até o centrinho de Jurerê, e por ai afora. Eu... Estava muito aborrecida (foto ao lado), de mau humor mesmo, pois, queria ir surfar e não consegui. Tive que desfazer o bico, depois que meus pais conversaram comigo à respeito (na verdade levei uma bronca bem séria do capitão).

O comandante Luiz Fernando e o Skipper 30 "Tinguá"

O pessoal combinou almoçar em Jurerê Internacional. O Zanellinha, levou um grupo de carona com ele, e nós fomos com o Luiz Fernando Beltrão do veleiro Tinguá http://www.veleirotingua.blogspot.com/ , levaram-nos a um restaurante muito bom, com um buffet ótimo, gostamos muito. Ainda no restaurante, a Tati do veleiro Bruxo nos ligou, ela queria saber se: o Binho e o Bruno, poderiam vir com a gente de Jurerê até a sede no centro. Claro que sim!... Respondemos, para mim seria divertido, companhia da minha idade para melhorar o meu humor.

Binho e Bruno

De volta ao clube, tratamos de começar a arrumação para a partida, em seguida chegaram os meninos, que prontamente ajudaram meu pai. Os veleiros foram saindo um a um para a reta final. O Bruno e o Binho deram um show... O capitão deu carta branca para eles, e a dupla de velejadores mirins mostrou o que sabe. Subiram as velas, mestra (o grande) e a genoa (vela da proa), timonearam, cambaram, caçaram as velas, orçaram e arribaram. O capitão, não queria outra vida, ficou sentado só observando o trabalho dos novos tripulantes, que como já disse arrebentaram. Foi muito legal, fizemos uma velejada bem divertida.

Tripulação reforçada na perna entre Jurerê e a sede central do ICSC em Floripa.

A "Almiranta" providenciou uns lanchinhos e refri, vamos velejando e contando piadas. Ao nos aproximarmos das pontes Hercílio Luz, Colombo Salles e Pedro Ivo Campos... Iniciou-se a expectativa, será que todos os barcos passarão? Vale lembrar que: os veleiros maiores como o Mony e o Millenium Star, resolveram sair pela manhã e fazer outra rota, dando a volta na ilha. Assim evitaram passar sob as pontes, os veleiros grandes tem uma limitação que é a altura dos mastros. Foi sinistro, lindo ver os barcos passando um a um em baixo das pontes e todos olhando se os mastros não pegariam. No canal de acesso ao clube, a profundidade é incrívelmente baixa, entorno de 1,70m. Chegamos às 17:00h, atracamos no novo pier do clube, que aliás é horrível, fixo, conforme a altura de maré, fica quase impossível subir e descer do barco, sem noção.

O veleiro Tangata Manu, após a passagem sob as pontes, ao fundo mais barcos da flotilha.

Estava chegando a hora de duas despedidas, do grupo maravilhoso que convivemos por quase trinta dias, e do nosso querido e valente veleiro, que aqui mesmo vai ficar para encontrar um novo dono. Bem, meus pais começaram a descarregar o barco, acabaram enchendo dois carrinhos de tralhas, nossa idéia era ir dormir em casa (Garopaba 70 km ao sul de Floripa) e voltar na manhã seguinte para retirar o restante de nossas coisas do barco, e participar do jantar de encerramento. Assim fizemos.

Beira Mar Norte vista do mar, Florianópolis - SC.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Espaço da Vitória - Cruzeiro Costa Sul 2009 - XIX

No sentido horário: Ricardinho "Magaiver", Ivan, Egle e o Taai-Fung-II

02.05.09 - Deixamos a enseada da Caixa D'Aço às 9:00h, logo na saída o Veleiro Taai -Fung II da Egle e do Ivan (http://pintandoosetti.wordpress.com/) teve um probleminha de motor. Coisa pouca, o bonito é que a flotilha toda ficou esperando o Ricardinho (Ricardo César Marques de Carvalho) resolver a pane... Meu pai disse que o Ricardinho é um "Magaiver" assim mesmo "abrasileirado". Ele disse também: que este tal "Magaiver" com um sabonete e uma lixa de unha era capaz de fabricar uma bomba. Não aguentei e fui pesquisar, acabei achando: McGyver era o protagonista da série de Tv Profissão:Perigo, sucesso nos anos 80 (Quase Jurássico... Só pesquisando mesmo).

O Alondra do comandante Icaro e o Sweet do comandante Janjão, entre Porto Belo e Floripa.

Esta turma é mesmo unida... Só seguimos adiante depois de resolvido o problema do Taai-Fung II. Foi uma velejada bastante tranquila, o mar estava baixo e o vento compareceu enchendo as velas de toda a flotilha do CCS.

13:15h - Chegamos em Jurerê na Sede Oceânica do Iate Clube de Santa Catarina Veleiros da Ilha, os marinheiros de plantão já aguardavam a flotilha, atenciosos e prestativos indicavam as poitas destinadas a cada veleiro participante do CCS. Aqui também tem o sistema do vai-e-vem (embarcação que transporta as tripulações dos barcos para terra e da terra de volta aos barcos), funciona 24 horas é só chamar pelo rádio.

A flotilha do CCS em Jurerê, Florianópolis - SC.

Arrumamos as mochilas, pegamos os galões de água para abastecer e chamamos o vai-e-vem, fomos direto para o banho, já estávamos com saudades de um banho de chuveiro. Depois de um banho delicioso, corremos para o restaurante, a fome bateu... Almoçamos e ficamos por ali mesmo, é um lugar bem bonito, com praia, escola de vela, sala de jogos, restaurante, churrasqueiras, enfim tem uma boa infraestrutura.

À noite jantamos por ali mesmo... Não demora chega a tripulação do Veleiro Bruxo, o Luis, a Tati e o Binho com um amigo. Nós "crianças" nos enturmamos enquanto nossos pais ficaram conversando. O Luis e a Tati, deixaram a flotilha lá no Capri, São Francisco do Sul, e vieram direto para Florianópolis. Meu pai disse que eles contaram como foi a navegada deles , eles disseram que logo na saída da baía da Babitonga pegaram um mar bem ruim, a Tati falou que foi um pavor.

Durante a tarde o vento rondou, deixando o mar em frente a Sede Oceânica do ICSC com ondas. Na hora de voltar aos barcos para dormir, o balanço estava muito desconfortável. Alguns velejadores resolveram dormir num hotel em frente ao clube, nós ficamos no Planeta Água. Foi um tal de sacode para lá e para cá a noite inteira, meu pai levantou inúmeras vezes para ajeitar as coisas que batiam com o balançar do barco.

A Sede Oceânica do ICSC em Jurerê, Florianópolis - SC.