quinta-feira, 28 de maio de 2009

Os veleiros tem o péssimo hábito de crescer...

A saída de Florianopólis só foi possível após pagarmos 1.200 patacas de excesso de bagagem.

Outro dia eu ouvi ou li, não lembro quem teria proferido a frase ou o "alfarrábio" em que posso ter lido, a sentença que diz mais ou menos o seguinte : - Os barcos em geral tem o péssimo hábito de crescer.

Como consequência desta mania de crescer, temos os pontos positivos como; maior conforto e velocidade entre outros é claro... E como pontos negativos podemos destacar ; o aumento de nossas mensalidades nos clubes e marinas, uma vez que estes valores são normalmente calculados por pé e também um valor de manutenção mais elevado, inclui-se aqui o marinheiro que também não vai manter o valores de costume se aparecermos com um barco maior.

O Novo Planeta Água, promessa de bons momentos e grandes aventuras.

Com o Planeta Água não é diferente... De 19 pés, cresceu para 26, para 32 e agora já esta com 36, já chegou a um tamanho respeitado por seus colegas de marinas e clubes. Na verdade, parece que os barcos menores o olham como se fosse um mestre, um exemplo a ser seguido por aqueles que ainda vão crescer alguns pés...

Estamos no momento em Salvador na Bahia Marina, aguardando uma melhora no tempo para então seguirmos rumo ao Rio de Janeiro. Silvio (Capitão Caverna) Labres e eu estamos ansiosos para velejar, o barco agora já esta em ordem (assim cremos), ontem a noite resolvemos fazer um carreteiro de charque "baiano" ou melhor um carreteiro "baiúcho". Não sem antes desmontar todo o fogão que se negava a colaborar para o intento "carraterístico". Manutenção feita...Meia noite nos deliciávamos com o prato "baiúcho".

"Caverna" as voltas com o fogão instantes antes de iniciar o carreteiro "baiúcho".

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Espaço da Vitória - Cruzeiro Costa Sul 2009 - XV

Vitória, Helena e Jonas velejando em uma das "bateras" da ANI.

28.04 - No dia anterior havíamos combinado... Eu o Jonas e a Heleninha de velejar nas "bateras" (é como chama os veleirinhos da ANI dos quais falei), não tinha muito vento para ajudar, mas foi bem legal e divertido, passamos quase a manhã toda brincando, quando voltamos para a areia, começamos a desmontar, tiramos vela, leme e retranca.

O belo mercado público de Itajaí -SC.

Depois fomos encontrar o pessoal que estava reunido para ir até o mercado público de Itajaí, ver o que havia de bom lá. Demos uma boa caminhada até o mercado, Itajaí é bem bonita e estruturada, o mercado oferece muita variedade de produtos e alimentos. Comprei duas curiosidades (brinquedinhos pra quebrar a cabeça) e depois almoçamos ali mesmo. Após repor as energias começamos a voltar, pois sairíamos às 15:00h para Camboriú, "hummm" nem estávamos acreditando que iríamos conhecer a tão famosa e ilustre "Marina Tedesco". Duas horas depois já estávamos chegando na Marina, de longe já avistávamos umas escunas gigantes, tipo pirata, muito show.

Rio Camboriú, barra sul onde fica a Tedesco Marina.

O Canal é estreito, os veleiros entravam um de cada vez, nós estávamos ansiosos para desembarcar e conhecer tudo, atracamos. Eu e minha mãe mais do que depressa descemos do barco e avisamos meu pai: - Nós vamos passear!... Atravessamos um portão que separava o local onde estávamos, do pátio dos restaurantes e... Em seguida, veio a nosso encontro um simpático rapaz que nos disse: - Vocês não podem circular por aqui! Desculpem, mas é ordem da direção. Ops! Voltamos de ré para o nosso barquinho. Na verdade eles liberaram um espaço para nós cruzeiristas que não é ocupado ainda pela marina, o banho era coletivo, o mesmo banheiro para homens e mulheres, e pra falar a verdade... Eles não tem o mínimo interesse em receber visitantes, pois, só os sócios com suas "pequenas" lanchas já mantém a marina.

Boa companhia, boas risadas a bordo do Mony.

Nem nos abalamos com a falta de interesse e delicadeza da direção da Tedesco com a flotilha do CCS. A noite prometia... Fomos ao veleiro Mony, onde estava saindo um super banquete, com siri (eu comi, nunca tinha visto assim eles inteiros, com patas e tudo, bom... Tiveram que me ensinar a comer, mas valeu, uma delícia), arroz com lula, saladas, vinho, cerveja, refri, enfim, para nós isso sim tem valor, o convívio com pessoas do bem, boa conversa, boas risadas, isso não tem dinheiro que pague. A turma era grande, um pouco ficou no salão espaçoso do Mony e o resto do pessoal ficou do lado de fora no cockpit. Meia noite fomos embora, dando risada, pois juntou tanto chinelo havaianas, que muitos saíram com os chinelos trocados, foi bem engraçado. Ah! tudo isso na" Marina Tedesco".

Flotilha do CCS na "simpática" Tedesco Marina.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Espaço da Vitória - Cruzeiro Costa Sul 2009 - XIV

Navio de containers chegando ao porto de Itajaí - SC. no 1º plano barco escola da ANI.

27.04 - Saímos às 3:00h da madrugada do Capri, a saída foi muito ruim (é claro que eu não vi nada, meu pai me contou), canal estreito, profundidade baixíssima, muitas luzes, o que acaba confundindo o velejador, frio, chuva, enfim... Essas coisas são para quem gosta mesmo.

O veleiro Alondra na poita em Itajaí - SC.

Navegamos durante 12 horas até Itajaí-SC. e chegamos às 15:00h. A barra de entrada do porto de Itajaí é muito bonita, protegida por dois enormes moles de pedras, quando chegamos ao Saco da Fazenda, local de nossa ancoragem, marinheiros vieram nos receber em botes para auxiliar e indicar as poitas para cada veleiro (poita pode ser uma âncora, bloco de concreto ou objeto pesado capaz de manter um barco em um ponto fixo, submersa a poita deixa a amostra na superficie apenas uma bóia onde fica preso o cabo de amarração).

Saco da Fazenda Itajaí - SC.

No Saco da Fazenda, não há clube nem marina, e sim uma pequena associação chamada ANI (Associação Náutica de Itajaí), que por sua vez tem sua sede instalada num container na beira da praia. Iniciativa de um casal de velejadores Vilmar e Gina do veleiro Jornal, que após 5 anos viajando ao redor do mundo, retornaram a sua cidade natal e porto de partida. Vilmar e Gina chegaram com o objetivo de construir uma Escola do Mar, local para poderem reunir crianças de ambos os sexos da rede pública de ensino, com o propósito de passar os conhecimentos adquiridos durante sua viagem de volta ao mundo.

Um container serve de sede para a ANI.

Super bacana o trabalho deles, pudemos presenciar e inclusive velejamos eu o Jonas e a Helena em um dos barquinhos. O Ivan do Taai Fung II, lá no Capri, nos contou do projeto desse casal e das condições em que trabalhavam, então agitou uma arrecadação da flotilha, cada um dava o valor que pudesse, para presentear e ajudar a ANI.

Vitória, Helena e Jonas velejando no Saco da Fazenda.

Como já falei, não tem clube... Mas nos fundos do container tem dois banheiros usados por eles, que aliás é um exemplo de limpeza, banho farto e "gelaaaado", encaramos assim mesmo. Quando chegamos já tinha um grande grupo nos esperando, inclusive um amigão do meu pai de Porto Alegre-RS. o "Chicão" Comodoro do Iate Clube Guaíba, gente finíssima.

Barco escola da Associação Náutica de Itajaí - ANI.

Estava marcado um jantar para a flotilha do CCS e o pessoal da ANI, foi em um restaurante quase enfrente a Associação foi só atravessar a rua, serviram frutos do mar. Nossa!... Nunca comi tanto fruto do mar como nesta viagem. Estava tudo muito bom, o pessoal da ANI, passou um vídeo sobre o início de suas atividades e um pouco da história do projeto, depois teve agradecimentos, a entrega do valor arrecadado junto a flotilha do CCS, a janta e até sorteio, foi eu quem tirei os papelzinhos e adivinhem qual foi o primeiro barco sorteado???... Não foi marmelada, eu juro, mas acabei ganhando um livro sobre Itajaí.

Flotilha do CCS no Saco da Fazenda em Itajaí - SC.

Espaço da Vitória - Cruzeiro Costa Sul 2009 - XIII

Lavanderia com máquinas novas, conforto oferecido pelo Capri Iate Clube.

26.04 - Manhã agradável sem chuva... Uhuuuu! Logo depois do café, distribuímos as tarefas, minha mãe e meu pai foram para a lavanderia do clube e eu fiquei organizando o barco ao som do Armandinho. Não demorou muito a galera começou a agitar uma ida a praia para surfar, eu tava dentro é claro, estava doidinha para pegar onda. Enquanto a galera decidia, eu resolvi dar um mergulho no canal do Capri Iate Clube.

Vitória e seu mergulho no canal do Capri.

A galera se preparando para a trip.

Estão dizendo que a praia onde ta rolando as ondas é longe e que não tem ônibus hoje (domingo), só que não disseram o quanto era longe, e era... Ufa, ufa! Que caminhada, serviu de aquecimento, o nome da tal praia é Sumidouro, quase desaparecemos de tão longe. Quando chegamos lá, que bela surpresa, um marzão de dá medo, sinistro, altas ondas. Então, já que tínhamos caminhado tudo aquilo, o jeito era entrar e aproveitar as ondas. Mais tarde, meu pai disse que foram 10km contando a ida e a volta, ele utilizou um programa de navegação para ver a distância exata.

Praia do Sumidouro ao fundo o Morro João Dias.

Surfamos quase duas horas e entre vacas (tombos) e ondas surfadas a trip foi positiva. Meus pais estavam na areia com a turma do veleiro Gameio. Quando meu pai notou que a maré estava enchendo entrou na água e me chamou para irmos embora. Acabou a festa... Começamos a voltar e a maré já estava bem alta, se minha mãe soubesse o que nos esperava, ela nunca teria saído do barco.

Marta e a turma do veleiro Gameio.

Na volta, o primeiro "enrosco" foi atravessar a barra na foz da Lagoa do Saguaçu/Canal do Capri, o que na ida era areia com um filete de água que não passava de nossos tornozelos, agora virou mar... A água estava chegando a altura da cintura e as ondas quebrando. Meu pai e o Ricardinho tripulante do veleiro Taai Fung - II levaram minha mãe pela mão (meio a reboque mesmo). Nossa! A maré encheu rápido demais, em uma outra barra de arroio atravessamos com a água já no peito. No meio de galhos, não conseguíamos saber onde e no que estávamos pisando e lá pelas tantas, até uma moréia morta apareceu na areia para ajudar a nos assustar mais. Eu e o Binho (Rodrigo) do veleiro Bruxo, subimos nas pranchas e remamos. Chegando no canal, ficamos tomando banho de mar.

A barra do "enrosco" clicada na ida antes da maré encher.

O dia rendeu e foi bem legal, pena que o Binho vai embora hoje, só vamos encontrar eles em Floripa. Lavei minha prancha, troquei de roupa e fui para o barco vizinho o veleiro Gameio (tchê!), onde estavam os meus pais, saboreando um... Churrasco. Não podia deixar de ser né? Muita farra, muita risada, a tripulação do Gameio é bem divertida, valeu mesmo. Mais tarde, reunião de comandantes para decidir horário de saída no dia seguinte, ajudei meu pai a colocar o bote para cima do barco, ajeitamos tudo e cama.

Marta, Izadora, Diogo, Mirella e Rogério a bordo do Gameio churrasqueando tchê.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Espaço da Vitória - Cruzeiro Costa Sul 2009 - XII

Heleninha, Vitória, Tatiane, Diana, Egle, Helena e Cris.

25.04 Mais um dia que amanheceu chuvendo, tempo muito feio... Fui olhar o mar, estava um pouco maior do que ontem. Tomamos café, e fui observar a movimentação para a tal regata, eu queria ver se as mulheres estavam mesmo falando sério ontem a noite... Pior, era super sério... A tripulação já estava montada, inclusive eu (Planeta água) estava escalada, Helena e Diana (Tangata Manu), Egle (Taai-Fung II), Tatiane (Bruxo), Cris (Sweet) e Helena a nossa comandante do veleiro Mony. Os homens também se habilitaram, para competir conosco montaram uma tripulção no veleiro Sophia, comandante Eduardo, meu pai (Planeta água), Ricardinho (Taai-Fung II), Luiz e Binho (Bruxo), Zanelinha (Guga Buy) e o Ibi (Sweet). O veleiro Alondra do comandante Icaro também resolveu entrar na brincadeira com sua tripulação oficial Sarmento, Waldemar e Lunardi.

A largada estava prevista para as 13:00h, todos prontos e lá vamos "nóis" acompanhados de chuva, frio e calmaria, nenhuma gota de vento... Barcos boiando quase parados, até que entrou um ventão e nos favoreceu colocando nosso barco (Mony) na frente do Sophia, passamos entre a bóia e a CR (comissão de regatas) e aí foi só festa, ou seja... Vencemos os homens.

"Nooossa" foi a maior pegação, zoei muito com meu pai, foi muito legal, nos sentimos felizes demais pela vitória.

16:00h Voltamos para o barco, minha mãe estava nos esperando com um delicioso almoço, depois fomos para o banho para nos aquecer um pouco e aguardar o churrasco de comemoração. Fomos homenageadas, recebemos flores e muitos aplausos, por fim posamos para as fotos , foi show, deu o que falar. Quanto aos homens... Como meu pai mesmo disse: "Estavam desmoralizados".

Mony o veleiro da mulherada.

domingo, 17 de maio de 2009

Espaço da Vitória - Cruzeiro Costa Sul 2009 - XI

Icaro (Vel. Alondra), Izadora ( Gameio), Marta e Fernando ( Planeta Água) Praia do Capri

24.04 Hoje o dia amanheceu ensolarado, aproveitamos para fazer mais uma limpeza no barco, tocou pra mim lavar o bote no pier. Foi bem engraçado!... Cada um que passava me perguntava se eu não queria lavar o bote do barco dele. Tá doido!... Passei o maior sufoco para lavar um só.

Meu pai para variar tinha reunião de comandantes, eu continuei a "faina" (trabalho) lavando todo o convés, e minha mãe fez a faxina no interior do barco. Quando olhamos na volta, percebemos que o pessoal gostou da idéia e também aderiram a faxina em seus barcos.

Decidiram na reunião que sairíamos às 12:00h rumo ao Capri Iate Clube , navegada tranquila, chegamos às 15:00h e atracamos de popa no pier, como eu já conhecia o lugar, logo fui até a prainha... Basta atravessar uma curta trilha para chegar nela.

Helena (Vel. Tangata Manu), Vitória (Vel. Planeta Água), Rodrigo (Vel. Bruxo) e Jonas (Vel. Mony)

Em seguida me juntei com a turma e fomos catar lixo na trilha e na praia, imaginem a quantidade de lixo que juntamos... Terminada a tarefa ecologicamente correta fomos para o veleiro Mony, o Jonas esta de tripulante no Mony, e fomos dar os últimos acabamentos no veleirinho que estamos construindo para a regata que vai acontecer na piscina do Iate Clube de Santa Catarina Veleiros em Florianópolis - SC. O mentor dessa idéia foi o Jonas, que é especialista em construir maquetes de veleiros de todos os tipos e com os mais variados materiais, tipo garrafa pet, chumbadas de pescaria (ele usa como bulbo da quilha), palitos de picolé e por ai vai... Ele já fez 63 veleirinhos.

Final do dia... Fomos ao banho e logo após jantamos no restaurante do clube, lá mesmo no restaurante surgiu uma conversa sobre a regata que aconteceria no dia seguinte na baía com veleiros do JIC (Joinville) e do Capri. Acabaram convidando os veleiros do CCS para participar, e olha só o que rolou... A mulherada ligou as antenas e resolveram formar uma tripulação feminina para correr no Mony, quero ver para acreditar.

Jonas com uma de suas maquetes em Porto Belo - SC. Foto José Assis R Filho (Craca-à-Toa)

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Qual a quantidade certa de cabos ??

Quantidade certa de cabos:

Adriças: O equivalente a duas vezes a altura do mastro, mais a distância do pé do mastro até a catraca, mais uns dois metros de sobra.

Escotas de genôa: Aproximadamente uma vez e meia o comprimento do barco para cada escota.

Vela Mestra: A melhor opção é medir a escota antiga para se obter o mesmo resultado, uma vez que o tamanho desta escota depende totalmente de qual tipo de redução está sendo usada.

Vela Balão: Aproximadamente duas vezes o comprimento do barco, mais um metro de sobra para cada escota.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Espaço da Vitória - Cruzeiro Costa Sul 2009 - X

O "bus" nos aguardando no pátio do JIC para o city tour por Joinville.

23.04 - A programação de hoje incluiu um almoço típico Alemão e um city tour pela cidade. Nosso comodoro José André Zanella (veleiro Guga Buy), reservou um ônibus para o passeio pela cidade de Joinville. Fizemos a primeira parada no Centro Comercial e Turístico Expoville, lá compramos chocolate, depois rodamos muito até chegar ao restaurante, mas valeu apena... Um buffet bem farto e pratos deliciosos (Marreco Recheado, Einsben entre outros) nos esperavam, meu pai pediu "Einsbein" (joelho de porco) à pururuca, minha mãe escolheu sopa, mas ajudou meu pai com o "Einsben" (eles disseram que estava uma delicia... Argh!!!), eu fiquei com o buffet. Depois da sobremesa, continuamos nosso passeio, fomos ao supermercado Angeloni e depois à uma lancheria que serve empadas de todos os sabores, o pessoal comeu e tomou vários "chops". Acho que este cruzeiro virou gastrônomico, mais se come e faz festa do que se navega... Rsrsrsrsrs. Fomos conhecer o mercado público que é bem modesto, enquanto outros foram para o Shopping. Já eram quase 18:00h e a turma resolveu esticar a saída e ir a uma choperia. Minha mãe estava muito cansada e nós resolvemos não ir, nosso programa também estava muito gostoso, pois ela fez sanduiches com picanha, jantamos, trabalhamos mais um pouco no blog, banho e cama.

Marta e Vitória, Mercado Público de Joinville.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Espaço da Vitória - Cruzeiro Costa Sul 2009 - IX

A bela estrutura do Joinville Iate Clube.

22.04 - Saímos às 9:00h rumo à Joinville, percurso rápido, 11:00h já estávamos no Joinville Iate Clube, chegamos com tempo chuvoso e frio, aliás, desde que chegamos em São Francisco, ou melhor, na baía da Babitonga o clima esta muito ruim, muita chuva e frio. Com tempo ruim, fica bem complicado para andar com o bote, ele esta sempre molhado e acabamos molhando nossas roupas também.

Botes = Dingues = Infláveis, não importa como os chamamos, todos acabam vez por outra nos deixando molhados.

Já estivemos no Joinville Iate Clube outras vezes... E sempre fomos muito bem recebidos, desta vez não foi diferente, pois recepcionaram toda a flotilha com um jantar muito bom. No jantar estava reunida toda diretoria do clube e seu comodoro que em poucas palavras nos deu as boas vindas e disse que o clube sempre estará aberto para este tipo de evento, completou seu discurso dizendo que a idéia é somar e acima de tudo fazer novos amigos. Mais uma parada gratificante.

Flotilha do CCS 2009 no Joinville Iate Clube, Joinville - SC.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Espaço da Vitória - Cruzeiro Costa Sul 2009 - VIII

Desfile da flotilha em São Francisco do Sul - SC. Foto Luiz Fernando Beltrão (Vel.Tinguá)

21.04 - Hoje acordamos com todo o gás, depois do café, partimos para uma super faxina na "casinha", daquelas de tirar as coisas dos armários e tudo... Sobrou pra mim passar lustra móveis em todas as madeiras, foi duro, mas quando acabamos o barco estava perfumado. Valeu!

Às 9:00h estava marcado um desfile da flotilha, a idéia era chegarmos todos juntos novamente na cidade e âncorar em frente ao centro histórico. Lá estavam nos aguardando algumas autoridades, como o Prefeito, representante do Governo do Estado, representante do embaixador da França entre outros.

Fomos super bem recebidos e agraciados com um almoço elaborado pelos estagiários da Faculdade de Turismo, Hotelaria e Gastronomia da Univali, cardápio francês e no final brindamos com champagne, ficamos muito agradecidos com tanto carinho e receptividade. Realmente, no decorrer dessa viagem, sentimos o quanto somos queridos e até admirados... Em alguns dos lugares por onde passamos, moradores, sócios dos clubes, marinheiros e políticos nos dispensaram total atenção, isto foi muito gratificante para nós.

Tripulação do Planeta clicada no almoço oferecido em "São Chico". Foto Ricardo Amatucci.

Bem... Depois de alguns momentos de requinte, luxo e fama, voltamos para nossa realidade, barquinho, blog, banho, uma boa conversa com os amigos na área de lazer do clube e janta. Ah! Detalhe... Minha mãe foi lavar os pratos e... Surpresa! A pia despencou. Aiaiai meu Deus! Não sabíamos se ríamos ou não, pois meu pai já está stressado com tantas quebras, lembram que falei que ele conserta quase tudo, pois fez uma armação que a pia foi para o lugar (provisória) até ele comprar cola e consertar definitivamente.

Fuiiiii!!!

Vitória

sábado, 9 de maio de 2009

Niver da Vitória... 08/05

Festinha em família

Ontem 08 de Maio... Nossa querida filha e proeira estava de aniversário.

Há 13 anos nascia no Hospital Moinhos de Vento em Porto Alegre, RS., nossa muito bem vinda "Vitória". Impressionante como o tempo passa rápido! "Vi", "Vick", "Tóia", "Macaca" são variações de seu nome (apelidos carinhosos usados por familiares e amigos).

Que ela continue sendo a nossa filha, proeira, companheira e amiga por muitas "milhares" de milhas. Desejamos que no rumo de sua vida, Vitória só encontre ventos favoráveis, mares amigáveis e portos seguros.

Feliz aniversário "macaca".

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Espaço da Vitória - Cruzeiro Costa Sul 2009 - VII

Vitória no Museu Nacional do Mar, São Franscisco do Sul - SC.

20.04.09 - Nossa despensa já estava com o estoque em declínio e nossas roupas sujas em alta, então resolvemos fazer dois sacos de roupas sujas, tomar café, procurar uma lavanderia e um supermercado... Foi cômico, o tempo chuvoso, nós vestidos com casacos impermeáveis para chuva, minha mãe segurando um saco e meu pai outro, as pessoas passavam e olhavam, como quem pensa: "nooossa" São Francisco já tem andarilhos... Foi bem engraçado. Chegamos na padaria, minha mãe foi logo perguntando onde ficava a lavanderia e o supermercado, a moça disse que ali no centro não tinha nem um e nem outro e que ficava longe. Um senhor que estava pagando sua conta, ouviu e disse: - "Eu sou taxista! Posso ajudar?". Resolvido o problema distâncias, tomamos nosso café e fomos aos afazeres.

Voltamos ao clube por volta de 11:00h., chegando encontramos o pessoal já reunido para ir ao Museu Nacional do Mar, meus pais me liberaram para ir junto com o grupo, enquanto eles acomodavam as compras no barco. Nós já visitamos "São Chico" com outro veleiro que meu pai tinha (menor que o atual) e naquela vez visitamos o Museu, o passeio é muito interessante e vale a pena ver de novo. Na saída, meus pais já estavam lá me aguardando para almoçarmos, ficamos por ali mesmo no Bistrô do Museu, delícia de comida. Começamos a voltar para o barco, só que minha mãe decidiu procurar uma manicure, acompanhamos ela um pouco, mas depois desistimos e fomos passear eu e meu pai pelo centro e praça da cidade, a praça da igreja matriz estava linda com enfeites de páscoa, toda data festiva eles enfeitam e decoram a praça, quando estivemos lá da outra vez era Natal, estava igualmente linda. Enquanto minha mãe não chegava, eu aproveitei para estudar e dar uma organizada na minha cabine. Quando ela finalmente apareceu fomos todos para o banho, comemos uma pizza e demos uma "passeadinha" básica na festa e logo em seguida nos recolhemos.

Praça da Igreja Matriz Nossa Senhora da Graça, São Francisco do Sul - SC.

Perdemos o idealizador da REFENO... Faleceu Maurício Castro

Emílio Russell, Fernando Maciel e Maurício Castro - Atol das Rocas 10/2008.

Não lembro onde foi... Lembro apenas que durante o CCS 2009 um dia Marta checando os e-mails disparou a queima roupa: - "Fernando, o Maurício faleceu!" Foi uma notícia muito triste, a pouco tempo tínhamos feito este novo amigo, foi na XXª edição da REFENO no ano passado que tivemos a satisfação de conhecer este personagem ímpar da vela oceânica.

Quem nos enviou a triste notícia foi o comandante e amigo Emílio Russell, Emílio escreveu em seu e-mail: "Depois de quase 3 meses fora, retorno sábado ao Recife, onde só passarei 4 dias. Espero ainda dar tempo de ver ele pela última vez, e quem sabe dizer para ele, quanto eu o admirei nestes últimos 40 anos, que sempre velejamos no mesmo rumo, e que tive o privilégio de têlo como amigo".

O pioneiro

Até 1984, cruzar o mar que separa Recife de Fernando de Noronha era quase que um privilégio de estrangeiros a caminho da Europa. Mas, naquele ano cinco velejadores fizeram a primeira travessia brasileira bem sucedida. Na tripulação estava Maurício Castro (acima), hoje com 76 anos. Considerado o idealizador da REFENO, ele continua tendo idéias ousadas. "Agora, quero implantar uma classe de navegação astronômica, em que os eletrônicos sejam proibidos" defende Maurício. Revista Náutica nº 243, página 44.

Maurício Castro faleceu vítima de um tumor maligno que atingiu o fígado e os pulmões do experiente comandante. Maurício enquanto hospitalizado dispensou UTI, não quiz ser entubado e permanecia sedado mas, quase sempre consciente de tudo.

Maurício Castro foi sepultado dia 16 de Abril, às 16:00h, no Cemitério Morada da Paz.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Desculpem a nossa falha!

Tripulantes da blogosfera... Desculpem a nossa falha!

Durante o Cruzeiro Costa Sul 2009 sofremos com a tal "Internet Móvel", foram vários dias com problemas de sinal, o resultado da "tranqueira" foi uma parada nas atualizações deste blog. Estamos retomando do ponto em que paramos e muitas notícias novas vão pintar aqui, continue acessando e saiba como foi "Varar o Varadouro" e tudo mais sobre o CCS 2009.

Bons Ventos!