quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Veleiro encalha em Florianópolis

Veleiro foi arrastado para a faixa de areia da Praia da Barra da Lagoa na madrugada de 1º de Outubro. Embarcação teria um tripulante, que partiu da Argentina e navegava pelo Litoral Catarinense. Barco apresentou problemas mecânicos quando ele tentava se proteger do mau tempo.

Equipe do Corpo de Bombeiros tenta, desde o início da manhã, retirar um barco encalhado na faixa da areia da praia da Barra da Lagoa, no Leste de Florianópolis. A equipe de resgate foi acionada por volta das 6h e informada de que um veleiro teria sido arrastado pela corrente marítima para a praia durante a madrugada. Segundo o intendente da Barra da Lagoa, Marcelo Vieira, a embarcação seria de um argentino que navegava pelo litoral catarinense. Ele teria partido do país vizinho e tido um problema no motor da embarcação quando tentava se abrigar do mau tempo na baía da Barra da Lagoa, durante a madrugada. Quando se aproximava do canal da barra, que liga a Lagoa da Conceição ao mar, a força das correntes marítimas teria empurrado a embarcação contra as pedras e, em seguida, em direção à faixa de areia.A identidade do argentino ainda não foi divulgada. O homem disse a Vieira que gritou por socorro, mas não havia ninguém na praia. Ao se aproximar da arrebentação (onde quebram as ondas) o tripulante abandonou o barco e pediu ajuda a moradores. Em seguida, o intendente do bairro e os socorristas foram acionados.Vieira adiantou que, como medida emergencial, uma retroescavadeira da prefeitura foi mobilizada para tirar o barco da água. Às 9h, as ondas continuavam a bater contra o casco, danificando a embarcação. O resgate deve ocorrer nas próximas horas. O proprietário do veleiro tenta desde cedo acionar o seguro da embarcação. Caso a empresa seguradora inicie os trabalhos para a retirada do barco, a prefeitura deve suspender a mobilização.

Barra da lagoa - Florianópolis, SC.

Morador diz que ajudou tripulante.

De acordo com Marcos Vieira, morador da região, o velejador chegou à praia ainda na noite de quarta-feira, por volta das 20h30min. Ele teria ancorado a embarcação no local para se proteger do mau tempo previsto para os próximos dias. Na madrugada, diz Vieira, o dono do barco, teria pedido ajuda. Ele teria dito que o tamanho das ondas aumentou e o mar revolto tinha arrastado o veleiro para a linha onde as ondas quebram.— Ele disse que a bateria, usada para ligar o motor do veleiro, estava descarregada e por isso não conseguiu evitar que o barco fosse parar na praia. Também não conseguiu pedir socorro pelo rádio, pelo mesmo motivo — lamenta Vieira, que ressalta que as duas âncoras da embarcação não impediram que a correnteza levasse o barco para a praia. Segundo ele, o argentino passava frio e estava bastante abatido com o incidente.

Colaboração Eduardo Schwery (ABVC)

Nenhum comentário:

Postar um comentário