quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Saco do Céu... Ilha Grande, Angra dos Reis, RJ. Brasil - Nós já fomos!

Saco do Céu, Ilha Grande. Imagem via webventure

Foi em Julho/09... Nossa filha e proeira Vitória, foi trocar umas ideias com o Mickey em Orlando, então, eu e a "Almiranta" fugimos para Angra dos Reis. Ficamos alguns dias pela marina, tempo necessário para compras, entre elas uma bateria para o arranque de nosso motor. Nestes dias também reencontramos alguns amigos, participamos de algumas farras etílico-gastrônomicas, e com a consciência e outras "coisas" pesadas, fizemos várias caminhadas em torno do condomínio Bracuhy. Para aliviar o peso da consciência é claro!

Em uma Quarta-feira qualquer, resolvemos sair. O "clima" (leia-se meteorologia, pois, o outro tava que tava...Bom demais!), não estava confiável, nos últimos dias a chuva deu as caras em todos. Mesmo assim, fomos para o Saco do Céu na Ilha Grande. Nós e nosso elegante "Emoções", futuro Planeta Água...

Saco do Céu, verde abundante em vários tons... entre mar e montanhas.

Era a terceira vez que eu entrava naquela baía mágica, já para a "Almiranta" tudo era novo. Estávamos ali, no Saco do Céu, posição S 23°06,299' W 044°12,552' seguros em uma poita do Coqueiro Verde, agora, contemplávamos o verde abundante em vários tons mesclados entre mar e montanha.

Aquele churrasquinho que não pode faltar! Um long drink; um cheiro na "Almiranta" e preguiçosamente o sol se foi escondendo por trás das montanhas. Nosso veleiro, alheio a tudo repousava tranquilo na água cor de esmeralda. No Saco do Céu, o mar é tão calmo que, à noite, o mar reflete as estrelas do céu, feito um espelho. Daí, aliás, o nome deste maravilhoso lugar.

Pela manhã, baixamos o bote e fomos para terra. A "Almiranta" estava em êxtase, pois, o Saco do Céu, como ela mesmo disse: "É um cartão postal, um lugar lindo de viver". - E não de morrer, como diz o jargão popular.

A bela estrutura do Coqueiro Verde.

Passeamos pela área do Coqueiro Verde que, nos surpreendeu com sua ótima estrutura. Aqui, você chega e é muito bem recebido por funcionários simpáticos e prestativos que, vem ao encontro das embarcações para auxiliar na manobra com as poitas. Temos a disposição, cais para embarque e desembarque, água, botes de apoio, dezenas de poitas, pousada, loja de artesanato e é claro um restaurante muito bom. Mas, muito bom mesmo!

Comunidade caiçara no Saco do Céu.

Caminhamos em meio a trilhas bem marcadas, para um lado e para o outro... Ficamos surpresos e felizes em constatar que, mesmo ali naquele canto isolado do mundo as comunidades caiçaras tem a disposição posto de saúde e uma bela escola. Enfim, o Saco do Céu além de paradisíaco, possui uma estrura básica que atende seus moradores.

A chuva... Ah a chuva! Teimou em aparecer mais uma vez. Almoçamos no Coqueiro Verde... Um risoto de camarão daqueles de comer ajoelhado. Nosso plano era não ter planos, queríamos apenas curtir aquela paz.

Nossa casa, quase "imóvel" no Saco do Céu.

De volta ao barco, fomos tomados por aquela sensação de permanente preguiça. Se fosse para dar outro nome ao Saco do Céu, com certeza seria algo como o "Cantinho dos Come-Dorme" E, se você quiser saber por quê, basta dar uma navegadinha até aqui. Porém, muito cuidado, você não vai ter vontade de ir embora.

Se você quer ver mais FOTOS...

2 comentários:

  1. Amor... ficou um charme o texto das nossas férias, especialmente no que se refere ao "Clima" (leia-se, não meteorologia) estava "muito bom". Concordo.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Também achei... Mesmo com a chuva insistindo em aparecer diariamente, conseguimos aproveitar aqueles dias de Julho.
    Beijo.

    ResponderExcluir