terça-feira, 7 de julho de 2009

O primeiro barco a gente nunca esquece...

O 1º Planeta Água um Micro 19', na foto a fonte original do nome já havia sido alterada.
Foto Ademir "Gigante" de Miranda (Veleiro Entre Pólos) clicada em Maceió, AL.

Os meios que a vida tem para nos ensinar certas coisas são no mínimo curiosos... Em meados de 1996, eu e minha família fomos iniciados no nobre esporte da vela. Nobre sim!... Pois, a vela surgiu no século XVIII entre reis e príncipes, e até os dias de hoje descendentes dos criadores desta cativante arte estão entre nós.

Marcelo Lopes, mais conhecido como "professor", foi quem nos mostrou como dar os primeiros passos, ou melhor, "bordos"... Nas turvas águas do Rio Guaíba que banha Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, último estado ao sul do Brasil. Eu "metido¹", sonhava com um barco grande e confortável, onde navegaria com a família através de todos os mares da terra. Não demorei a acordar deste sonho, a oferta e os valores dos barcos com os quais eu fantasiava eram pra lá de proibitivos, não cabiam no meu pequeno bolso.

Nesta mesma época, mudamos para Garopaba em Santa Catarina. Foi lá que conheci Dom Alberto, capitão reformado da Marinha Argentina. Velejador, que em mais de uma oportunidade, navegou de Buenos Aires ao Rio de Janeiro. Foram varios os almoços e jantares em que trocamos ideias sobre barcos, eu é claro, quase sempre na condição de ouvinte e aprendiz...

Sabedor de "mi suenõs", Dom Alberto num daqueles encontros me disse, (mais ou menos isso): - Dom Fernando, si usted no comprar un barco pequeño pronto y a no navegar, no va nunca a comprar el barco (se você não comprar um barco pequeno logo, não vai comprar barco nunca).

O que Dom Alberto disse naquele dia, foi determinante para nossa história. Na mesma semana voltei a Porto Alegre e comprei o primeiro Planeta Água, um Micro 19'.


Marta e Vitória a bordo do 1º Planeta Água no Iate Clube Guaíba, Porto Alegtre, RS.
¹Aquele que pensa que pode...

Nenhum comentário:

Postar um comentário