sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Imagens do Veleiro Guga Buy e sua destemida tripulação

O comandante José André Zanella, iniciando mais uma etapa da volta à América do Sul, Valdívia a Ushuaia. Partindo para São Paulo do Aeroporto Internacional Hercílio Luz - Florianópolis, SC.

Segunda perna, São Paulo à Santiago. Zanella, Zanellinha e Paulão

Em Valdívia preparando o barco para irmos até Puerto Montt. Uma visão geral do Club de Yates de Valdívia.

Em Valdívia preparando o barco para irmos até Puerto Montt. Uma visão geral do Club de Yates de Valdívia.

Zarpando de Valdívia as 06:00 hs local com destino a Puerto Montt.

E o Guga Buy reencontra o mar novamente. Zanellinha, Paulão, Stephen Ma e Zanella

Alegria de pobre dura pouco. Após 35 milhas navegadas, a previsão de vento fraco falhou. Entrou um ventão com rajadas de 32 nós e ondas altas que impediam que o Guga Buy andasse mais que 2 milhas por hora. Como não havia nenhum abrigo próximo, retornaram a Valdívia.

De volta a Valdívia, previsão de nova saída para sábado dia 25/10

De volta a Valdívia, previsão de nova saída para sábado dia 25/10

De volta a Valdívia, previsão de nova saída para sábado dia 25/10


quarta-feira, 22 de outubro de 2014

O sonho do Druída "Silverix" se concretizando



Meus amigos,

Na terça feira estaremos zarpando de Valdivia, a bordo do veleiro Guga Buy do comandante José Zanella de Florianopolis.
Navegaremos até Puerto Mont, canais chilenos, Punta Arenas, Ushuaia, Horn, Buenos Aires e por aí vai.
Uma navegada sonhada a muito tempo com o Riacho Doce, mas quem sabe na próxima. 

Segue abaixo o link do spot do Guga Buy:


Assim que possível mando notícias.
Grande abraço.

Paulo Silveira.


quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Odômetro de Âncora

Odômetro de âncora informa o comprimento da corrente em uso.

Desenvolvimento de gaúcho facilita fundeios.

Ao acionar o guincho de âncora em um fundeio, o timoneiro tem dificuldade em saber o quanto de corrente já desceu ou já subiu. Posicionado no cockpit da lancha ou do veleiro, ele não consegue visualizar a operação do guincho na proa, e fica sem saber o quanto de corrente já passou.

O comandante gaúcho Marco Antônio Braun, um experiente lancheiro e industrialista no segmento de eletrônica embarcada, desenvolveu um produto de fácil instalação, que informa o quanto de corrente passou pelo guincho da âncora após seu acionamento.



quinta-feira, 20 de março de 2014

12º Encontro Nacional da ABVC


Acontece de 1 a 4 de maio, a décima segunda edição consecutiva do Encontro Nacional da Associação Brasileira de Velejadores de Cruzeiro, na Porto Marina Bracuhy (Angra dos Reis- RJ). 

O primeiro encontro de velejadores cruzeiristas foi realizado na Marina Porto Paraty, em 2005. A partir de então, todos os anos a associação reúne os velejadores para uma confraternização com palestras, oficinas, e claro, muita festa. 

Para este ano a programação está repleta de novidades, como palestras de Beto Pandiani e Aleixo Belov, além do casal Phlippe Gouffon e Frederique Grassi, associados da ABVC, que partiram de Angra para um cruzeiro até a África do Sul e retornaram. Há ainda outras palestras interessantes (veja a programação completa abaixo), além de workshops. Neles a turma põe a “mão na massa”. Eles acontecem na área de motor de popa, culinária e segurança. O destaque é o de primeiros socorros no mar (Dr. Ricardo Guimarães), onde jovens aprenderão desde a prática do uso de extintores de incêndio, até o uso de balsas salva-vidas, com a parte teórica e depois a prática. 

As refeições estão contempladas na programação com um jantar de abertura, um churrasco ao final do segundo dia, e um jantar de encerramento no sábado à noite.

A Marina Bracuhy reservou 30 vagas para quem for de veleiro.

As inscrições estão abertas no site da ABVC a partir desta sexta feira (21/03) em www.abvc.com.br com valores de R$200,00 para sócios e R$ 260,00 para não associados. Crianças até 10 anos não pagam.


Programa Oficial do Encontro 2014

01/abr 19:00h – Abertura com a presença de autoridades e Jantar de abertura
             
02/abr 09:00   10:00- Motores marítimos de propulsão  elétrica - Paulo Cozze
10:00   11:00- Workshop: Regulagens do motor de popa Mercury 3.3
11:00   13:00- Workshop: Prática de sobrevivência no mar – Dr. Ricardo Guimarães
12:00  13:00-  Almoço           
            13:00   14: 00- Palestra: Mastreação (regulagens) – Telesmar Lira
            14:00   15:00-  Palestra: Conservação de embarcações - Eduardo “Cocó” Faggiano          
            15:00   16:00-  Workshop: Segurança no mar – Dr. Ricardo Guimarães
            15:00   16:00-  Palestra: Estação Marinha Brasileira na Antártida - Marinha do Brasil
            16:00   17:00-  Palestra: Veleiro Fraternidade - A viagem - Aleixo Belov
                        19:00-   Churrasco

03/abr 09:00   10:00-  Palestra: Subindo a costa no Cruzeiro Costa Leste - Dicas de preparação do veleiro - Ivan Perdigão e Egle M. C. Setti
            10:00   11:00-  Palestra: Regulagem de velas (North Sails) - Rodrigo Molina
            11:00   12:00-  Workshop: Refeições para veleiros -  Maurício Rosa e Regina D' Elia Collell
            12:00   14:00-  Almoço
            14:00   15:00-  Palestra: Elétrica de motores Diesel – Mike Wadamori
            15:00   16:00-  Palestra: Meteorologia Náutica (Softwares de previsão climática) – Luciano Guerra
            16:00   17:00-  Palestra: Viagem à Cidade do Cabo em um Velamar 32 - Phillipe Gouffon e Frederique Grassi
            17:00   18:00   Palestra: O sucesso é uma experiência coletiva - Beto Pandiani     
            20:00 – Jantar de encerramento

04/abr   9:00  Café da manhã (por adesão – não incluso) no hotel para confraternização geral.
            10:00 Retorno aos portos de origem.

*Durante o dia 02/abr haverá um Curso Navegação e Segurança no mar, voltado para o público adolescente (12 a 18 anos), com o objetivo de ensinar noções básicas de técnicas de navegação e segurança em embarcações, facilitando e incentivando a participação deles nas velejadas.

*Durante os dias 2 e 3 haverá monitoria para as crianças abaixo de 10 anos, para que os pais possam aproveitar com mais tranquilidade o Evento.

Háverá também 30 vagas no pier da Marina porto Bracuhy, (preenchidas por ordem de inscrição) para aqueles que optarem em ir com sua embarcação para o Evento.


Informações adicionais e fotos: direção@uv.com.br / (011) 9-8354-3254 com Ricardo Amatucci


terça-feira, 19 de novembro de 2013

Onde está o Planeta Água ?



Porto Marina Bracuhy, nossa base em Angra dos Reis, RJ. desde 2007. Chegamos aqui para o V Encontro Nacional da ABVC com nosso valente e saudoso Deltinha 26'. Gostamos do lugar e o elegemos como porto seguro do Planeta Água .Veja mais fotos e conheça melhor a Marina Bracuhy clicando AQUI.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Diga "NÃO" a cobrança do IPVA para embarcações



 Chega de tanto imposto !



ASSINE JÁ A PETIÇÃO CONTRA O IPVA PARA EMBARCAÇÕES CLICANDO AQUI


Por que isto é importante


A Proposta de Emenda à Constituição (PEC 140/2012) que trata da cobrança de impostos para veículos aéreos e aquáticos apresentada pelo Deputado Assis Carvalho (PT do Piauí) encontra-se em tramitação e aguardando a criação de uma comissão na Mesa Diretora da Câmara dos Deputados. Na esteira das decisões políticas visando a aumento da arrecadação de impostos, ela pretende alterar a Constituição Federal para permitir aos estados a cobrança do IPVA sobre aviões e embarcações.
A matéria já foi objeto de discussão no STF em maio de 2002. Na época, a tentativa de impor o tributo era a mesma, mas sem a alteração constitucional e o Supremo vetou porque o IPVA (imposto sobre veículos automotores) é um sucessor da antiga TRU (Taxa rodoviária Urbana) e voltada apenas para veículos automotores terrestres. Agora, entretanto, com a tentativa de mudança da Constituição a manobra política poderá tornar a cobrança viável. O tema, que vem sendo defendido por alguns como sendo de “interesse popular" na verdade revela a ignorância sobre o uso dos veleiros. Sendo o IPVA um imposto para “veículos automotores”, jamais poderia incidir sobre um veleiro, movido eminentemente por vento. Num veleiro, o motor é apenas auxiliar em manobras quando da atracação/desatracação ou em emergências causadas pela falta de vento. Não é cabível mais um imposto sobre as embarcações produzidas no Brasil, que já tem uma carga tributária elevada e tem acarretado prejuízo junto a estaleiros, navegadores, trabalhadores das pequenas empresas e, por consequência, beneficiando a industria estrangeira e as importações.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Pela primeira vez na história uma praia em Fernando de Noronha é interditada por poluição

Praia do Cachorro

Esta calamidade quase não foi divulgada, mas a verdade é que, pela primeira vez na história uma praia em Fernando de Noronha é interditada por poluição. No mês passado a Praia do Cachorro foi fechada por conta do despejo de esgoto irregular que está sendo feito pela Companhia Pernambucana de Saneamento.  A pergunta que me faço: O que é feito com todas as TAXAS que pagamos para visitarmos Noronha ? Leia mais sobre esta triste noticia AQUI.

terça-feira, 8 de outubro de 2013

O Veleiro Entre Pólos e a reforma após a queda do mastro.

 
O Entre Pólos no ICRJ subindo para a REFENO 2012

Passado quase um ano da queda do mastro do Entre Pólos nas proximidades de Fernando de Noronha, o Gigante atualizou o Blog nos contando como foi a reforma do barco. Vai lá e da uma olhada no minucioso e belo trabalho feito no Entre Pólos. Clique AQUI. Postagens relacionadas AQUI e ALI.

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Ilha do Cedro, Paraty - Destino Imperdível


Imagem surrupiada do Face do Nelson (Bar do Nelson)

Você já conhece a Ilha do Cedro em Paraty ? Não, então clica AQUI !

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Ilhabela - Pier da Vila em 1940



Pier da Vila em 1940, marco zero da Ilhabela, SP. Capital da vela no Brasil, Ilhabela esta pra nós, entre os três melhores "lugarzinhos" de nossa costa. Os dois outros, na nossa modesta opinião são: Fernando de Noronha e Florianópolis, todos ilhas. É no Pier da Vila, que hoje esta localizado o Aeroilha Restaurante e Pizzaria.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

A Praia e a Trilha de Naufragados


Localizada no extremo sul da Ilha de Florianópolis, Naufragados tem uma aura de mistério devido aos acontecimentos históricos registrados na região. O principal e mais conhecido, que acabou dando nome ao lugar, foi o naufrágio de duas embarcações de médio porte usadas pelos portugueses, bem em frente à praia, em 1753. Seguindo determinações da Corte Portuguesa, cerca de 250 colonos açorianos viajavam para o Rio Grande do Sul quando ocorreu o acidente, no local hoje chamado de Ponta dos Naufragados. Só 77 colonos escaparam, dos quais parte ficou na Ilha e outros seguiram para Laguna e para o Rio Grande do Sul.


Na segunda metade do século XIX, foi construído um farol naquela ponta. Este farol, que se ergue no alto do cabo rochoso, foi inaugurado em 3 de maio de 1861.  A partir desta época, famílias migraram para a região, um engenho foi construído e abriu-se os primeiros roçados na mata. Empreendimentos coloniais que prosperaram e obrigaram a importação de escravos. Deste período restaram algumas ruínas que ainda podem ser observadas à margem da trilha. Também podem ser percebidas algumas melhorias no traçado do caminho, degraus e valos de drenagem. Nas construções era utilizado o óleo de baleia misturado a pedras e conchas para erguer as paredes.



A trilha até Naufragados é bem marcada, bastante utilizada pelo menos desde a inauguração do farol, reúne grande parte dos atrativos procurados pelos adeptos do ecoturismo. Mata Atlântica exuberante, percurso de nível médio sem grandes dificuldades, monumentos históricos e uma história marcada por tiros de canhão e naufrágios. Com total de três quilômetros, a trilha pode ser percorrida em 50 minutos, praticando-se um trekking tranquilo através dos dois morros que separam a Caieira da Barra do Sul, última comunidade da Baía Sul, e a Praia dos Naufragados. Com cerca de 20 minutos de caminhada, o caminho passa por um verdadeiro túnel de vegetação nativa. Um pouco mais adiante pode-se parar em um dos riachos para se refrescar e tomar água. Nessa trilha é praticamente impossível algum visitante conseguir se perder. Por ser um caminho bem marcado, basta seguir a trilha principal. Contudo, dois caminhos partem da trilha principal, podendo causar dúvida. O primeiro parte de um ponto no alto da primeira montanha e leva diretamente ao Farol, localizado no costão direito da praia. A outra trilha, menos conhecida, tem seu início já próximo à Praia dos Naufragados e segue à esquerda do caminho principal, levando à Ponta do Pasto, na direção da Praia do Saquinho.

Toda a beleza de Naufragados, se descortina logo que saímos da trilha e chegamos a linda praia de areias brancas. Com infraestrutura mínima , Naufragados não tem energia elétrica, não existem pousadas e a única opção é o camping. Na praia, que já foi deserta e está em área de preservação, poucas casas formam uma micro-comunidade, onde funcionam alguns pequenos e simples restaurantes, que transformam os raios do sol em energia elétrica utilizando placas solares. Daí a garantia de uma cervejinha gelada. Ali são servidas refeições à base de frutos do mar que não custam caro. No costão direito da praia, fica a  Ponta dos Naufragados, do alto do morro,  podemos contemplar a Ilha de Araçatuba onde estão as ruínas do Forte de Nossa Senhora da Conceição 1744 - O farol e três canhões que serviriam para proteger a baía dos invasores alemães na segunda guerra mundial.

A tranquilidade do lugar só é quebrada nos dias de mar bravo com ondulação de Sul quando as ondas ficam muito boas para à prática do surf.